Correio promove seminário para discutir a reforma da Previdência

Próxima edição do Correio debate acontece no dia 25 e terá a participação do ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Dyogo Oliveira

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/04/2017 06:00 / atualizado em 16/04/2017 23:56

Andressa Anholete/AFP
 

 

A reforma da Previdência é uma das principais pautas do Congresso neste ano. Os pilares da reforma proposta são a idade mínima de 65 anos para homens e mulheres, e o novo sistema de pensão. Para ampliar o debate em torno do tema, qualificar as discussões e envolver a sociedade, o Correio Braziliense vai realizar o evento Correio debate: a reforma da Previdência, no dia 25 de abril, das 14h30 às 19h, no auditório do edifício-sede do jornal em Brasília.

 

Leia mais notícias em Brasil 


O seminário terá a participação de representantes do Ministério da Previdência Social, Receita Federal, Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Tribunal de Contas da União e fundos de previdência, entre outros. Será aberto pelo ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Dyogo Oliveira. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 24 de abril, no endereço correiobraziliense.com.br/correiodebate. As vagas são limitadas.


O Correio debate: a reforma da Previdência conta com o patrocínio do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindifisco). O evento será realizado no formado de painéis de discussão e será mediado pelo editor-executivo do Correio, o jornalista Vicente Nunes.  “O Correio Debate é um projeto muito bem-sucedido  que permite, por meio da experiência do evento e de toda a cobertura especial, ampliar e colocar em pauta discussões de temas relevantes. É a contribuição do jornal para qualificar os debates e envolver a sociedade”, explicou a gerente de marketing do Correio, Cristiane Maruyama.


A partir do evento, vários conteúdos editoriais serão produzidos e distribuídos nos veículos de comunicação do grupo Diários Associados, de forma a ampliar ainda mais o alcance do debate. O site realizará a transmissão simultânea, com chamadas de destaque sobre os principais pontos apresentados pelos participantes. O Correio também trará um caderno especial com a cobertura completa do evento, na semana seguinte, 2 de maio. Além disso, as reportagens especiais, entrevistas, vídeos e fotos serão disponibilizadas em uma página da web personalizada.

Painéis

Durante a tarde serão realizados três painéis. O primeiro painel terá o tema Os impactos da reforma da Previdência e vai reunir o deputado federal Arthur Maia, o secretário da Previdência Social, Marcelo Caetano, o auditor fiscal da Receita Federal Mário Pereira Pinho Filho, e o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz. O segundo painel, com o tema A reforma e as contas públicas, terá a participação de Lucieni Pereira, auditora federal de Controle Externo do TCU, e do advogado Cláudio Farág. O terceiro painel enfocará o tema A reforma e o setor público. Participam do debate o diretor-superintendente substituto da Previc, Fábio Coelho, o diretor-presidente da Funpresp-Exe, Ricardo Pena, o diretor de seguridade da Funpresp-Jud, Edmilson Enedino das Chagas, e o diretor de documentação do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP), Antônio Augusto de Queiroz.

Debate

O Correio Debate é um projeto especial personalizado e dinâmico, que tem o objetivo de promover discussões e dar visibilidade a temas atuais relevantes, de interesse da população ou de algum segmento específico da sociedade. Criado em 2015, o projeto já contabiliza a realização de nove eventos de debates que discutiram temas diversos, como carga tributária, comunicação empresarial, empreendedorismo e venda direta, desafios para o crescimento do país e o desafio hídrico como preparativo para o 8º Fórum Mundial da Água, realizado na semana passada.

 

 
Programação, dia 25 de maio

BOAS-VINDAS | 14h30
Com Álvaro Teixeira da Costa, diretor-presidente do Correio Braziliense
Cláudio Damasceno, presidente do Sindifisco Nacional

ABERTURA | 14h40
Abertura com Dyogo Oliveira, ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão

PAINEL 1 | 15h10 às 16h30
Os impactos da Reforma da Previdência
Moderador: Vicente Nunes
Arthur Maia – Deputado Federal (BA)
Marcelo Caetano – Secretário da Previdência Social
Mário Pereira Pinho Filho, auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil
Clemente Ganz, diretor Técnico do Dieese
PAINEL 2 | 16h30 às 17h35
A reforma e as contas públicas
Moderador: Vicente Nunes
Lucieni Pereira, auditora Federal de Controle Externo - CE do TCU
Cláudio Farág, advogado

COFFEE BREAK | 17h35 às 17h50
PAINEL 3 | 17h50 às 19h10
A Reforma e o Setor Público
Moderador: Vicente Nunes
Fábio Coelho, diretor Superintendente Substituto da Previc
Ricardo Pena, diretor-presidente da Funpresp-Exe
Edmilson Enedino das Chagas, diretor de Seguridade da FUNPRESP-JUD
Antônio Augusto de Queiroz, diretor de Documentação do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar


Encerramento com Vicente Nunes

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
antonio
antonio - 17 de Abril às 15:17
A REFORMA DA PREVIDENCIA ESTA PARECENDO MAIS UM GOLPE CONTRA O CONTRIBUINTE QUE SEMPRE ACREDITOU E FOI OBRIGADO A RECOLHER SUA PREVIDENCIA PENSANDO NUM DIA MELHOR QUANDO APOSENTAR O QUE ESTA ACONTECENDO E UM ATESTADO DE OBTO POIS OS CALCULOS NA HORA DA APOSENTADORIA DA UM REVERSÃO DE VALORES QUE NAO DA NEM PRA COMPRAR OS REMEDIOS.
 
antonio
antonio - 17 de Abril às 15:15
BOA TARDE, ATE AGORA NAO VI NENHUMA PROPOSTA QUE PUDESSE DAR UM RUMO A PREVIDENCIA. PRIMEIRO E PRECISO SABER QUEM E QUANTO DEVE PARA PREVIDENCIA E COBRAR TODOS OS DEVEDORES SEGUNDO QUAL E O CUSTO ADMINISTRATIVO DA PREVIDENCIA DATAPREV CUSTO COM ALGUNS PREDIOS FUNCIONAIS QUE NAO FUNCIONA E TEM QUE SER VENDIDO CUSTO GERAL A FOLHA DE PAGAMENTO DA PREVIDENCIA QUANTO GANHO UM FUNCIONARIO DA PREVIDENCIA POIS PARA RECOLHER TEMOS UM TETO. AGORA VEM O MAIS IMPORTANTE A PREVIDENCIA NAO TEM QUE DISCUTIR DATA DE APOSENTADORIA E NEM FATOR PREVIDENCIARIO E PRECISO . PRIMEIRO JA QUE E POSSIVEL E TEM QUE RECOLHER APOS O 16 ANOS DE IDADE A PESSOA CHEGOU A HORA DE APOSENTAR COM 35 ANOS HOMEM E MULHER 30 VAI APOSENTAR E PRONTO E NAO CONTINUAR MAIS NA ATIVA. OU CASO QUEIRA E COM MESMO VALOR QUE JA DEU NA APOSENTADORIA COM UM RECOLHIMENTO DE 20 % COMO SE FOSSE AUTONONO, ESSE RECOLHIMENTO DE 20% VAI PRA O FUNDO PREVIDENCIARIO. E 8% FGTS OUTRA COISA IMPORTANTE E O VALOR DO TETO DESDE JA TEM QUE SUBIR O VALOR PARA 10 SM. E DEPENDENDO DO CASO UM RECOLHIMENTO OPCIONAL EXTRA OU SEJA INSS 2 QUE SERIA ACIMA DO LIMITE DO TETO PARA MELHORAR O GANHO MAIS NAO A APOSENTADORIA APOSENTOU COM 5 SALARIO MINIMO MAIS UM ADICIONAL QUE FOR CALCULADO PELO RECOLHIMENTO EXTRA. OUTRA COISA TUDO QUE FOR TRIBUTADO NA FOLHA DE PAGAMENTO OU RETIRADA PRO LABORE DEVER IR PARA A PREVIDENCIA NO CASO DO IRRF POR EXEMPLO FICARIA PARTE PARA A RESTITUIÇÃO A DIFERENÇA DO RESULTADO DA TRIBUTAÇÃO E QUE VINHA PARA O FUNDO ATE SANAR A PREVIDENCIA. COMO CALCULAR A APOSENTADORIA DOS PAGAMENTOS A MEDIA DOS ULTIMOS 15 ANOS DE RECOLHIMENTO CORRIGIDO E NO MOMENTO CONVERTER EM SALARIO MININO EX APOSENTOU COM 4.8 SALARIO MINIMOS AI SEMPRE VAI TER ESSE VALOR. A OUTRA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIA TAMBEM CONVERTER PARA QUE INCENTIVE AS PESSOAS RECOLHER PARA A PREVIDENCIA E NAO PARA FUNDO PRIVADOS . POIS A GARANTIA PREVIDENCIA E DO GOVERNO FEDERAL. O MAIS IMPORTANTE QUE DEVERA ASSUMIR O CONTROLE NAO E MINISTRO POLITICOS E SIM FUNCIONARIOS