Chuvas deixam 19 cidades do RS em emergência e também afetam SC

A situação mais grave é em Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí, onde o rio já subiu quase 9 metros e o risco de enchente é iminente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/05/2017 19:11

Subiu para 19 o número municípios em situação de emergência devido à chuva, no Rio Grande do Sul. Diversas regiões do Estado contabilizam estragos por cheias de rios e excesso de chuva, que já tirou de casa 2.384 pessoas.

A Defesa Civil do RS divulgou um novo balanço no fim da tarde desta terça-feira (30/5) no qual destaca que 60 cidades acumulam danos. Até o momento, 1.889 pessoas estão desalojadas (fora de casa, mas acomodadas com parentes e amigos) e 495 desabrigas (aguardando em ginásios e abrigos municipais).
 
 
Em Uruguaiana, no extremo oeste, na fronteira com a Argentina, dez famílias (42 pessoas) estão desabrigadas, e 54 famílias (226 pessoas), desalojadas. O mesmo ocorre em Itaqui, que registra oito famílias (34 pessoas) em abrigos municipais e 82 famílias (344 pessoas) socorridas em casas de parentes e amigos.

Os dois municípios sofrem com a cheia do rio Uruguai que, segundo dados da Defesa Civil, continua subindo nas duas cidades, além de São Borja e Irai. As cidades que se encontram em situação de emergência são Tiradentes do Sul, Campo Novo, Três Passos, Coronel Bicaco, Santo Augusto, Tenente Portela, Panambi, Cristal, Sertão, São Jerônimo, Tunas, São José das Missões, Itaqui, Casca, São Borja, Pedras Altas, Boqueirão do Leão, Dom Pedrito e Vila Lângaro.

Santa Catarina

Após 72 horas de chuva, 162 catarinenses tiveram que deixar suas casas. A situação mais grave é em Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí, onde o rio já subiu quase 9 metros e o risco de enchente é iminente. Os moradores da cidade foram obrigados a deixar suas residências e estão alojados em cinco abrigos públicos, improvisados em salões paroquiais.

Moradores de Arvoredo, Lages e Ibirama também tiveram que abandonar suas casas devido aos riscos de deslizamentos. Outros 37 municípios foram atingidos. Somente em Blumenau a Defesa Civil atendeu a 51 ocorrências. São deslizamentos de terra, quedas de muros, postes e árvores. Muitas ruas estão intransitáveis.

A prefeitura de Florianópolis decretou nesta terça situação de emergência devido à ressaca na última madrugada. Com ondas de até dois metros, as orlas das praias de Canasvieiras e Ingleses, no Norte da Ilha, foram parcialmente destruídas.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.