Delegado que participou de investigação da morte de Teori é assassinado

Um dos delegados mortos, Adriano Antônio Soares, foi o responsável por iniciar as investigações do acidente aéreo que matou o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/05/2017 11:23 / atualizado em 31/05/2017 11:59

Dois delegados federais morreram durante uma troca de tiros na madrugada desta quarta-feira, em Florianópolis, capital de Santa Catarina. De acordo com a Polícia Federal (PF), Elias Escobar, de 60 anos, e Adriano Antônio Soares, de 47 anos, tinham funções importantes dentro da corporação. Soares participou do inquérito que apura a morte do ex-ministro do Superior Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, ocorrida em janeiro deste ano.

A causa da briga que levou a morte dos agentes federais ainda é investigada pela Polícia Civil. O que se sabe é que os dois delegados estavam em uma casa noturna quando se envolveram em uma briga que acabou em tiroteio. As imagens das câmeras de segurança do estabelecimento foram recuperadas pela Polícia Civil, o que deve ajudar a esclarecer o caso.
 
Soares e Escobar atuavam no Rio de Janeiro e estavam em Florianópolis para participar de um curso de capacitação da corporação. Em nota, a PF lamentou as mortes dos dois delegados. “Neste momento de imensa tristeza, a Polícia Federal expressa suas condolências e solidariedade aos familiares e amigos enlutados”.
 
Além dos dois delegados, um comerciante, suspeito de atirar contra os delegados, também ficou ferido. Nilton César Souza Junior, de 36 anos, segue internado no Hospital de Florianópolis.  

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.