Internautas arrecadam R$ 15 mil para remover "ladrão" da testa de jovem

Os responsáveis por gravar a frase "eu sou ladrão e vacilão" na testa do adolescente já foram presos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/06/2017 13:30 / atualizado em 11/06/2017 13:55

Reprodução

 
Uma campanha virtual conseguiu arrecadar mais de R$ 15 mil para remover a tatuagem "Eu sou ladrão e vacilão" da testa de um menor de idade. Os homens responsáveis por gravar a frase no rosto do menino, Ronildo Moreira de Araujo e Maycon Wesley Carvalho dos Reis, foram presos por tortura na noite de sábado (10/6).
 

O jovem é acusado pela dupla de roubar a bicicleta de um homem sem perna. A família do adolescente foi até a polícia com gravações que Ronildo e Maycon postaram nas redes sociais, em que registraram o momento em que tatuaram o garoto.

Quando a notícia foi divulgada, algumas pessoas ficaram chocadas e quiseram prestar solidariedade ao jovem e sua família. O coletivo Afroguerrilha rapidamente criou uma 'vaquinha' online, com o objetivo de alcançar R$ 15 mil para arcar com os gastos da remoção da tatuagem, além de auxiliar a família com os custos do processo judicial contra os tatuadores, e o tratamento do garoto que, de acordo com o coletivo, é dependente químico. Em um dia, já foram arrecadados R$ 17.446,66 (às 13h27 de 11/6). As doações podem ser feitas até 30/6.

Veja parte do texto da campanha:

"Essa semana ocorreu um caso de tortura em São Bernardo em que alguns tatuadores tatuaram na testa de um menino a frase “eu sou ladrão”, tentando tirar dele, que é periférico e menor de idade, qualquer perspectiva de futuro. Isso é um caso de tortura e humilhação muito grave, que vai causar transtornos sociais a ele por muito tempo.

Conheço esse garoto desde que ele era pequeno e sua família vive uma situação de pobreza e falta de condições muito grave. Além disso, ele passa por transtornos psicológicos causados pela dependência química e, por isso, precisa de sua ajuda.

É desumano o que fizeram com ele. Mais um menino periférico sendo torturado. Por isso o Afroguerrilha está abrindo essa vakinha em nome da avó do garoto para pagar a remoção da tatuagem e auxiliar a família, que é muito pobre, e no custo das questões burocráticas com o processo na justiça.

Todo o dinheiro será destinado à avó da vítima, que é a responsável por ele. Temos contato direto com ela e o adolescente."
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
david
david - 12 de Junho às 18:33
Tem muitas instituições de caridade precisando desse quinze mil reais. Daria para comprar cobertor, lenços, travesseiros, nesse frio. Sem falar em alimentos, sopão, pasta de dente e outros coisas para moradores de rua.
 
david
david - 12 de Junho às 18:28
Que pena! Quanto ele matar e assaltar um pai de família, vocês vão se arrepender do que fez. Se essa moda pega, seria importante tatuar a cabeça dos políticos ladrão e corruptos, seria ótimo. Parabéns para esse tatuador por essa ideia brilhante.
 
Gustavo
Gustavo - 12 de Junho às 11:47
Tadinho... e eu aqui trabalhando feito um escravo...