PF investiga ex-governador espanhol por desvio 21 milhões de euros

O grupo empresarial espanhol, com predominância de capital público e que tem por atividade a exploração do ciclo completo da água, adquiriu uma empresa brasileira com preço superfaturado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/06/2017 10:08

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira, (13/6), a operação IGNATUS* para cumprir nove mandados de busca e apreensão e dois de condução coercitiva no Rio de Janeiro e em Minas Gerais. A operação é feita em conjunto com o Ministério Público Federal e em cooperação internacional com autoridades espanholas.

 

A investigação em curso no Juízo de Instrução de Madri aponta a existência de uma organização criminosa encabeçada pelo ex-Presidente da Comunidade Autônoma de Madri, Jaime Ignacio González, cargo equivalente ao de Governador no Brasil, responsável pela administração no período de setembro de 2012 a junho de 2015.

 

De acordo com a PF, foi apurado que o político de direita do Partido Popular (PP) teria utilizado recursos públicos para fins particulares através de concessão de obras públicas a empresas que participariam do esquema, com prejuízos aos cofres de Madri estimados em 21 milhões de Euros. Além disso, um grupo empresarial espanhol, com predominância de capital público e que tem por atividade a exploração do ciclo completo da água, adquiriu uma empresa brasileira com preço superfaturado.

 

Quarenta policiais federais cumprem as ordens expedidas pelo Juízo da 9ª Vara Federal Criminal na capital fluminense e em um escritório de advocacia em Nova Lima, Minas Gerais. Os dois conduzidos de forma coercitiva, que são ex-controladores da empresa brasileira adquirida, serão ouvidos ainda hoje pelo Juízo da 9ª Vara Federal Criminal.

 

O nome da operação é uma referência à origem grega do nome do principal investigado, o ex-Presidente da Comunidade Autônoma de Madri

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.