Parlamentares identificam falta de médicos em hospital no Rio

Havia dois médicos para atender 28 pacientes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/07/2017 16:51

Uma vistoria feita neste sábado (1/7) por deputados federais do Rio de Janeiro ao Hospital Federal Cardoso Fontes constatou um quadro de falta de profissionais na unidade, disseram os parlamentares ao deixar o local. Segundo a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), havia apenas dois médicos na emergência para atender aos 28 pacientes internados e a todos que chegavam em busca de atendimento.


"A falta de profissionais de saúde é visível, é explicita nas emergências", disse a deputada, que também identificou problemas na transferência de pacientes para serviços especializados "Em uma emergência, você não pode ter paciente internado por 20 dias".

O deputado federal Celso Pansera (PMDB-RJ) concordou com a avaliação e disse que o hospital enfrenta problemas também de falta de leitos: "A regulação tem uma demora grande. A falta de insumos não é problema, mas a falta de pessoal, de leitos e de regulação é o que temos de mais grave aqui".


Leia mais notícias de Brasil

Também estiveram na vistoria os deputados Chico D'Angelo (PT-RJ) e Hugo Leal (PSB-RJ). A coordenadora de Fiscalização do Conselho Regional de Enfermagem, Sabrina Seibert, deu suporte técnico à vistoria e disse que a situação não é nenhuma surpresa em relação aos problemas que já eram conhecidos pelo conselho.

"A gente tem um déficit de 30% de profissionais no quadro da enfermagem. São profissionais sobrecarregados, que têm um absenteísmo muito grande e que são realojados de um setor para outros que não são sua especialidade", disse ela, acrescentando que a visita é uma oportunidade para que os parlamentares possam conhecer a situação e elaborar propostas para mudá-la.

Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que os repasses ao hospital estão em dia e que a rede federal do Rio passará por uma reestruturação, para que cada um dos seis hospitais seja especializado em determinadas áreas de atuação. "A meta é aumentar em 20% o atendimento especializado em oncologia, ortopedia e cardiologia, feito nas unidades", acrescenta a nota.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
José
José - 01 de Julho às 19:06
Se não fosse a EXTRAORDINÁRIA CAPACIDADE INVESTIGATIVA DELES ninguém ficaria sabendo ? ? ?
 
José
José - 01 de Julho às 19:05
Não DIGAM ? ? ? ? - - - - - - - - - - - - Será verdade mesmo ? ? ? - - - - - - - QUANTA CApacidade investigativa ! ! !