Operação mira traficantes e PMs corruptos na Baixada Fluminense

As equipes estão em favelas como o Parque União e o Chapadão e no Complexo Penitenciário de Bangu, na zona oeste, entre outros pontos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/07/2017 09:29

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPE-RJ) e a Polícia Militar realizam nesta quinta-feira (6/7), em Japeri, na Baixada Fluminense, a Operação Estado Paralelo para cumprir mandados de prisão contra 31 traficantes que atuam na região e de mandados de busca e apreensão nas casas de 17 policiais militares acusados de serem coniventes com os bandidos.

As equipes estão em favelas como o Parque União e o Chapadão e no Complexo Penitenciário de Bangu, na zona oeste, entre outros pontos. A ação é do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP e da Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar, com apoio da Corregedoria da PM

Entre os denunciados estão o traficante Ipojucan Soares de Andrade, o Coroa ou JJ, que está preso desde agosto de 2015; o filho adotivo dele, Silvio Cesar de Jesus Esteves, o Silvinho; e Marcelo da Silva Guilherme, o Marcelinho dos Prazeres.

Preso desde outubro de 2013, Marcelinho dos Prazes mantinha o controle da quadrilha de traficantes investigada mesmo quando estava no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), supostamente sem comunicação por telefone com o grupo do lado de fora do presídio de Bangu.

Alan Camargo da Silva, o Gordão, segundo o MP, negociava armas e munições para o tráfico das comunidades de Japeri. Breno da Silva de Souza é acusado de praticar roubos no Arco Metropolitano e nas regiões de Engenheiro Pedreira e Paracambi, na Baixada. 

PMs


Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão nas casas de 17 PMs. Eles teriam recebido propina para não coibir o tráfico em comunidades da região.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.