Relógios adiantam meia hora e confundem brasileiros em vários estados

Nas redes sociais, internautas comentaram a mudança na marcação do tempo em aparelhos de diversos estados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/07/2017 19:36

Gustavo Moreno/CB/DA Press
 
Diversos relógios pelo país adiantaram automaticamente meia hora além do horário oficial de Brasília. O problema começou na sexta-feira (7/7) e se estendeu pelo fim de semana. A mudança no horário ocorreu principalmente no celular e atrapalhou a rotina de milhares de pessoas. Pelo Twitter, diversos internautas comentaram com estranheza as alterações no registro do tempo em diversas unidades da federação, como em Goiás, Distrito Federal e no Piauí. 
 
Ainda não está claro o que motivou o problema. No entanto, as mensagens publicadas pelos internautas atribuem a mudança nos relógios a aparelhos de celular que usam a rede da operadora Claro. O professor Francisco Borges, de 38 anos, percebeu a mudança no horário após a reclamação de estudantes da escola na qual dá aulas, em São João do Piauí-PI. “Eu estava em sala, me preparando para dar uma atividade avaliativa, às 20h. Então os alunos começaram a pedir os trabalhos, pois nos celulares deles já marcava 20h05 e no meu 19h40. Então percebemos que metade da turma estava com o celular com horário adiantado”, conta o professor.
 
 
No Brasil, a hora oficial é registrada por diversos equipamentos. A Universidade de São Paulo (USP) utiliza relógios atômicos para registrar a hora. Esses relógios usam átomos de césio 133 para funcionar. Os físicos usam sinais de laser, e realizam a excitação de níveis de energia relacionados ao spin nuclear do átomo (orientação quântica), fazendo com que os átomos sejam testados com um sinal de radiofrequência. De acordo com a resposta dos átomos é possível sintonizar o gerador de radiofrequência para trabalhar "calibrado" pelos átomos.

Na prática, os cientistas registram a vibração do átomo, que ocorre bilhões de vezes por segundo, para saber a marcação da hora. Esses relógios são extremamente precisos e existem vários pelo mundo, que são fundamentais para diversos serviços, como o Sistema de Posicionamento Global (GPS). Esses aparelhos não são radioativos, e não apresentam risco de explosão.

O professor Daniel Varela Magalhães, um dos responsáveis pelos relógios atômicos do campus da USP na cidade de São Carlos, em São Paulo, destaca que diversos fenômenos podem interferir em aparelhos eletrônicos, inclusive nos relógios e celulares. Tempestades solares causam também interferências eletromagnéticas e, se ocorrem em intensidades elevadas, acabam também afetando o funcionamento de circuitos eletrônicos. No caso de relógios atômicos, os próprios instrumentos eletrônicos usados nas medições podem sofrer com a interferência externa”, destaca o físico.

Em nota, a operadora Claro afirmou que não registrou nenhum problema em sua rede e que seus serviços estão funcionando normalmente. 
Tags: relógio
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.