Batida entre moto, carreta e carro mata sete pessoas na BR-116

Acidente ocorreu no município de Itambacuri, no Vale do Mucuri, e o único sobrevivente é o motorista do caminhão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/07/2017 08:43

Bombeiros/Divulgação


Uma tragédia tirou a vida de sete pessoas no fim da tarde deste domingo após uma batida violenta envolvendo três veículos na BR-116 em Itambacuri, no Vale do Mucuri. 

Das oito pessoas que estavam em uma moto, uma carreta e um carro, apenas o motorista do veículo pesado sobreviveu. Dois ocupantes da motocicleta e os cinco que estavam no carro de passeio morreram, após os dois veículos menores baterem de frente com o caminhão.

Segundo a versão do condutor da carreta que estava carregada com polietileno dada à Polícia Rodoviária Federal (PRF) e ao Corpo de Bombeiros, ele seguia em direção a Governador Valadares quando foi surpreendido pela moto desgovernada no sentido contrário da BR-116 na contramão de direção.
Ele teria tentado evitar a batida, mas não conseguiu e ainda acertou uma Parati que também estava no sentido contrário, em direção a Teófilo Otoni. Uma das hipóteses levantadas pelo próprio motorista do caminhão para a batida é um possível deslocamento de ar que pode ter desequilibrado a moto no momento em que ela cruzou com um caminhão baú, momentos antes de encontrar a carreta.

A moto, cujos dois ocupantes seriam de Itambacuri, ficou completamente destruída e pegou fogo após a batida. Já os ocupantes da Parati seriam de Nanuque, também no Vale do Mucuri. Até o momento já estão confirmados os nomes de três pessoas que morreram: Ana Maria Lopes Costa, de 27 anos, Herick Amorim Medina, de 20, e Cleber Pereira Cardoso, de 37.

Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal de Teófilo Otoni, onde passam por necropsia. O motorista do caminhão teve ferimentos leves nas mãos, passou pelo teste do bafômetro e não havia ingerido bebidas alcoólicas.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.