Curto-circuito causou queda de energia em refinaria da Petrobras

Há relatos de funcionários de que houve vazamento de amônia e incêndio provocado por escape de material inflamável, seguido de explosão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/08/2017 14:59

A Petrobras informou hoje (8/8) que a Refinaria Presidente Bernardes (RBPC), em Cubatão (SP), sofreu uma parada momentânea de suas atividades, na noite de ontem (7/8), em consequência da interrupção no fornecimento de energia pela Usina Termelétrica Euzébio Rocha, mas isso não gerou impacto sobre a segurança das pessoas ou do meio ambiente. “O abastecimento ao mercado está garantido e as causas do evento estão sendo avaliadas”, acrescentou a empresa por meio de nota.
 

De acordo com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cesteb), o desligamento da energia ocorreu por causa de um curto-circuito, às 18h43, em uma chave seccionadora. Segundo a Cetesb, houve um princípio de incêndio que foi contido com extintores pelos brigadistas da refinaria e uma parada geral da UTE (unidade termelétrica) em função da interrupção do fornecimento de água pela Refinaria Presidente Bernardes. A energia voltou a ser acionada às 19h08 pela Companhia de Energia (CTEEP), com a gradativa retomada dos sistemas interligados.

“Em decorrência do evento, em um primeiro momento e por falta de energia, algumas unidades da RPBC foram paralisadas. Em um segundo momento, por conta da paralisação da ETA [estação de tratamento de água] e da interrupção do fornecimento de vapor (UTE), todas as demais unidades da RPBC foram paralisadas”, diz o comunicado da Cetesb. A refinaria deverá apresentar um relatório sobre o fato até amanhã (9) à Cetesb.

O Sindicato dos Petroleiros do Litoral Paulista (SindiPetro) publicou uma nota informando que o apagão durou pouco mais de meia hora e que todas as unidades da refinaria tiveram o seu funcionamento completamente paralisado. Segundo a entidade, há relatos de funcionários de que houve vazamento de amônia e incêndio provocado por escape de material inflamável, seguido de explosão. Ainda de acordo com o sindicado, o problema atingiu também as indústrias de fertilizantes de Cubatão.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.