Correio vence prêmio com reportagem sobre falhas no Ensino Médio

Jornalista Tainan Pimentel foi agraciado com o Prêmio de Jornalismo da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), na categoria internet

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/08/2017 21:45 / atualizado em 08/08/2017 21:58

Luis Nova/Esp. CB/D.A Press

 

O Correio Braziliense venceu mais um prêmio jornalístico. Na noite desta terça-feira (8/8), o jornalista Tainan Pimentel foi agraciado com o Prêmio de Jornalismo da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), na categoria internet, com reportagem "Falhas no Ensino Médio dificultam a vida de jovens em universidades do país".

 

Leia mais notícias em Brasil 

 

Publicada em 13 de maio deste ano, a matéria fez um Raio X da realidade nas escolas e instituições de Ensino Superior, quando o assunto é aproveitamento educacional.

 

Na mesma premiação, o Correio foi finalista na categoria Impresso Regional com a reportagem "Tecnólogo em serviços jurídicos na berlinda", produzida pela jornalista Ana Paula Lisboa.

 

A comissão julgadora do concurso da AMBES foi composta por Arnaldo Niskler, Marcos Vilaça e Merval Pereira, membros da Academia Brasileira de Letras. Os vencedores receberam premiações em dinheiro (no valor bruto total de R$100 mil), distribuídos em duas categorias (Nacional e Regional) nos segmentos de Impresso, TV, Rádio e Internet. 

Outras premiações

No último 9 de maio, a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) concedeu ao Correio o Prêmio República de valorização do Ministério Público Federal pela série de reportagens "#XôPrivilégio: hora de tirar os políticos da redoma". 

 

A série começou em 29 de outubro de 2016, após o foro impedir a continuidade da Operação Métis, que investigava a atuação de policiais legislativos na tentativa de impedir as investigações da Operação Lava-Jato.

 

A continuidade das reportagens fez com que o Senado desengavetasse um projeto de mudança na Constituição para acabar com o benefício. O texto foi aprovado em primeiro turno, por unanimidade, no plenário da Casa em 26 de abril. A expectativa é de que a aprovação em segundo turno aconteça no fim desta semana. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.