20 anos após morte de Betinho, Brasil corre risco de voltar ao Mapa da Fome

Sociólogo dedicou a vida à defesa do interesse coletivo, à luta pela ética na política e contra a fome e a miséria

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/08/2017 06:00 / atualizado em 08/08/2017 23:49

Jefferson Rudy/CB/D.A Press
Hoje é dia de um resgate de ideias, de recuperação de um exemplo. Há 20 anos, às 21h10 de uma noite de sábado, o Brasil perdeu Herbert de Souza, o Betinho, um sociólogo que dedicou a vida à defesa do interesse coletivo, à luta pela ética na política e contra a fome e a miséria. O contexto da sociedade brasileira — com 14 milhões de desempregados, avanço da pobreza e redução nos gastos públicos com saúde, educação e segurança — faz pensar em como seriam os dias atuais sem essa ausência.

 
No mês passado, 20 instituições da sociedade civil apresentaram o relatório Luz da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável. O documento analisa o desempenho do Brasil para o cumprimento dos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), mas trouxe alerta sobre o risco de o país voltar a constar no próximo Mapa da Fome. Esse levantamento — feito pela instituição da ONU que lida com a agricultura e a alimentação, a FAO — indica em quais nações mais de 5% da população ingerem diariamente menos calorias que o recomendado. O combate à fome era bandeira de Betinho.

Só em 2014, o Brasil desapareceu do Mapa da Fome. Pela primeira vez, 3% dos brasileiros tinham que lidar com a falta de condições para satisfazer a necessidade vital por comida, e, assim, o mapa do país deixou de ganhar, no levantamento da FAO, a cor avermelhada. Apesar do aumento da pobreza e da degradação das condições sociais, o Bolsa Família atende hoje 800 mil famílias a menos em comparação com 2013.

Em nota, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) argumenta que o aumento da pobreza e da miséria no Brasil, presente no relatório, é consequência da irresponsabilidade fiscal do governo Dilma Rousseff (PT) e de uma condução desastrosa da política econômica. “Assumimos o governo com as contas deficitárias. Mesmo assim, reajustamos o benefício médio do Bolsa Família em 12,5%, o que não era feito havia dois anos, e isso teve forte impacto na vida da parcela mais vulnerável da população”, explica o ministro da pasta, Osmar Terra (PMDB).

Um parceiro nas mobilizações da década de 1990 manifesta saudade do sociólogo e entende que hoje a presença dele teria muito a contribuir na luta contra a ameaça do retrocesso. “Os indicadores sociais estão sendo perdidos rapidamente, e, com persuasão e persistência, tenho certeza de que Betinho conseguiria mobilização em defesa dos ganhos que a sociedade brasileira conquistou”, avalia Luiz Pinguelli Rosa, diretor de relações institucionais do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe), vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A inspiração que ficou dos 61 anos de vida do defensor da cidadania será tema, às 12h, do evento Celebrar Betinho, na UFRJ. Haverá um debate com a participação de professores do Coppe e do filósofo e teólogo Leonardo Boff.

Está prevista também a apresentação do hotsite www.celebrarbetinho.org.br. Por fim, haverá o lançamento do Prêmio Betinho Imagens da Cidadania, iniciativa que selecionará 10 vídeos feitos sob inspiração de princípios da democracia: igualdade, diversidade, participação, solidariedade e liberdade.

“Os indicadores sociais estão sendo perdidos rapidamente, e, com persuasão e persistência, tenho certeza de que Betinho conseguiria mobilização em defesa dos ganhos que a sociedade brasileira conquistou”
Luiz Pinguelli Rosa, diretor do Coppe
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
carlos
carlos - 09 de Agosto às 09:07
O POVO TÁ SOFRENDO COM ESSE GOVERNO, MAS AS ELITES QUE O LEVARAM AO PODER DERRUBANDO DILMA TÁ PAGANDO TAMBÉM, COM AUMENTO DOS IMPOSTOS E GASOLINA!
 
carlos
carlos - 09 de Agosto às 09:06
Esse Ministro incopetente e membro da oligarquia brasileira ainda tem a cara de pau de atacar a Dilma, culpando-a pelas mazelas que ele e seus amigos corruptos do planalto estão fazendo com o Brasil! cortando beneficios como bolsa familia, FIES, ETC E DANDO ISENÇÃO DE 99% para empresários, fazendeiros do agro-negócio, comprando deputados com emendas milionárias, etc. Se fosse Getúlio, fechava esse congresso como fechou na época!