Adolescente baleada em ataque a escola não corre mais risco de morte

De acordo com o Hugo, a estudante Isadora de Morais, 13, não se encontra mais em estado grave. Já Marcela Rocha recebeu alta da UTI do Hugo na manhã desta segunda-feira

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/10/2017 17:36 / atualizado em 23/10/2017 19:09

Luis Nova/Esp. CB/D.A Press
As duas adolescentes feridas pelo estudante que efetuou onze tiros contra os colegas de turma no Colégio Goyases, na última sexta-feira (20/10), tiveram melhora clínica e nenhuma vítima corre mais risco de morte. O Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) informou nesta segunda-feira (23/10), que a estudante Isadora de Morais, de 14 anos, que respirava com ajuda de aparelhos e estava em coma induzido, não se encontra mais em estado grave.
 
 
Segundo boletim médico da unidade, divulgado na tarde desta segunda-feira (23/10), a estudante está orientada, consciente e com respiração espontânea. Apesar da melhora, Isadora segue internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) humanizada do Hugo para observação. A adolescente foi atingida por três tiros – um na mão, um na nuca e um no tórax – e chegou ao hospital em estado gravíssimo.
 
A outra estudante também internada na mesma unidade de saúde, Marcela Rocha, de 13 anos, recebeu alta da UTI do Hugo na manhã desta segunda-feira (23/10). Ela foi encaminhada para um leito da enfermaria do Hugo para dar continuidade ao tratamento. A adolescente também se encontra orientada, consciente e com respiração espontânea, segundo o hospital.

A pedido das famílias, o Hugo havia deixado de divulgar novas informações sobre o estado de saúde das estudantes no último sábado. Porém, para evitar o "aparecimento de boatos", o hospital voltou a encaminhar os boletins médicos à imprensa.

Primeira alta 

O estudante Hyago Marques, de 13 anos, foi o primeiro ferido a receber alta hospitalar, ao deixar o Hugo ainda na manhã de sábado (21/10). Antes de ser liberado, a família de Hyago divulgou um vídeo, em que o garoto dizia estar bem e se recuperando.
 
 
 
A quarta ferida no tiroteio está internada no Hospital de Acidentados de Goiânia. Segundo o hospital, Lara Fleury Borges, 14, foi operada para reconstruir o osso do antebraço, local onde foi atingida. O quadro clínico de saúde também é considerado bom pela unidade. Porém, também à pedido da família, o hospital não atualiza informações sobre o estado de saúde dela. A única atualização foi disponibilizada na sexta-feira, quando a unidade informou que a paciente "não corria risco de morte".

Ataque

O ataque à escola aconteceu no fim da manhã de sexta-feira (20/10). Os estudantes João Vitor Gomes e João Pedro Calembro foram baleados e morreram no local. O atirador e as vítimas estavam no oitavo ano do ensino fundamental. 

A arma utilizada no crime pertencia à mãe do estudante, uma policial militar. O pai do rapaz também é major da Polícia Militar de Goiás (PMGO). O atirador foi apreendido pela Polícia Militar de Goiás.

De acordo com o pai de um dos alunos, o garoto não tinha uma vítima específica e "entrou atirando aleatoriamente".
 
 
 
* Estagiário sob supervisão de Anderson Costolli 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.