Governo lança programa para retomar e concluir obras paradas

As conclusões das reformas serão tocadas em mais de 3 mil municípios brasileiros

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/11/2017 16:26 / atualizado em 09/11/2017 16:32

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press

 

O governo federal lança nesta quinta-feira (9/11) um dos maiores programas de infraestrutura da história do país. Serão investidos até 2018 um total de R$ 130,97 bilhões. O objetivo é retomar e finalizar 7,44 mil obras que estavam paradas ou em ritmo lento. O projeto prevê ações em rodovias, ferrovias, hidrovias, aeroportos, e portos. E também em áreas sociais, como habitação, saneamento e drenagem, recursos hídricos, mobilidade urbana, contenção de encostas e centros de artes e esportes unificados, creches, quadras, unidades básicas de saúde, entre outras.



As conclusões das reformas serão tocadas em mais de 3 mil municípios brasileiros. O Nordeste será contemplado com o maior número de obras: 3.186, com investimentos de R$ 19 bilhões. O governo adotou critérios para não investir a esmo. Um deles é que tenham garantias de recursos necessários para serem concluídas, explica o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira.

“Tudo o que está no programa tem recurso previsto no orçamento. São obras que, efetivamente, tem possibilidades de conclusão e de entrega até o fim do próximo ano”, assegurou. Outro critério, assegura o governo, é de que todas as obras serão entregues até dezembro de 2018. “Terão priorização na aplicação neste e no próximo ano”, afirmou Oliveira.

 

Leia mais notícias em Brasil

 

O programa se desdobra em três subprodutos: o Avançar Cidades, que disponibilizará R$ 29,9 bilhões da Caixa Econômica Federal, do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); o Avançar Energia, que injetará R$ 58,9 bilhões de empresas estatais no setor de energia; e o Avançar com recursos do orçamento geral da União, de R$ 42,1 bilhões.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.