Equipe de Lewis Hamilton sofre assalto à mão armada no GP do Brasil de F1

Membros da Williams e da Federação Internacional de Automobilismo também foram abordados, mas conseguiram evitar o roubo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/11/2017 15:14 / atualizado em 11/11/2017 15:42

AFP / PEDRO PARDO
Uma van que transportava a equipe da Mercedes foi assaltada à mão armada, na sexta-feira (10/11), quando saía do circuito de Interlagos, em São Paulo, onde vai ser realizado o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1.

"Alguns membros do meu time foram assaltados ontem à noite ao sair do circuito aqui no Brasil. Dispararam tiros, apontaram armas para suas cabeças... É angustiante", tuitou o tetracampeão do mundo Lewis Hamilton.

"Isto acontece aqui todos os anos. A Fórmula 1 e os times precisam fazer alguma coisa, não tem desculpas", acrescentou o britânico.

"Roubaram objetos de valor, mas o mais importante é que ninguém saiu ferido e que todo mundo está bem", explicou o porta-voz da Mercedes.

Membros da Williams e da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) também foram abordados, mas conseguiram evitar o roubo, segundo o jornalista Andrew Benson da BBC.

A criminalidade é um problema recorrente nos GPs organizados na América Latina. Em 2016, no México, um membro da Mercedes também sofreu episódio similar. Em 2010, o piloto britânico Jenson Button foi vítima de assalto à mão armada.

Os incidentes aconteceram em um momento em que o futuro da corrida brasileira está em suspenso, já que Interlagos está à venda.

A cidade indicou que existem negociações com três potenciais compradores e que uma das condições de venda é que a corrida seja disputada para além de 2020.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.