Publicidade

Estado de Minas

Brasileira é morta após polícia balear seu carro mais de 20 vezes

Segundo a imprensa local, o carro em que estava Ivanice Carvalho da Costa pode ter sido confundido com um veículo utilizado por ladrões durante uma fuga. A polícia alega que o namorado da brasileira, que dirigia o carro alvejado, tentou atropelar agentes em uma barreira


postado em 16/11/2017 12:17 / atualizado em 16/11/2017 14:21

(foto: CMTV/Divulgação)
(foto: CMTV/Divulgação)

 
Uma brasileira foi morta a tiros pela polícia de Lisboa, na madrugada desta quinta-feira (16/11). Segundo o jornal Correio da Manhã, o carro em que Ivanice Carvalho da Costa era parecido com um veículo procurado por policiais. A polícia portuguesa, no entanto, alega que os disparos foram feitos porque o condutor, namorado de Ivanice, tentou fugir de uma blitz. A brasileira, de 35 anos, morreu no local ao ser atingida por um tiro no pescoço. 
 

O carro em que Ivanice estava é um Renault Mégane preto. Segundo a polícia, seu namorado não obedeceu à ordem de parar em uma barreira montada para prender bandidos que fugiam em um Seat Leon da mesma cor após pegarem dinheiro de um caixa eletrônico e trocar tiros com policiais. 

A busca pelos suspeitos mobilizou várias equipes da cidade. Barreiras de fiscalização foram colocadas por Lisboa tentar diminuir o número de rotas de fuga. De acordo com a polícia portuguesa, quando passou pela blitz, o namorado da vítima teria tentado atropelar os policiais e, por isso, "foram obrigados a atirar". O carro tinha mais de 20 marcas de tiros e, no chão do local, foram recolhidas mais de 40 balas. 
 

Dois anos em Portugal 

 
Ivanice morava há 17 anos no país. Ela não tinha nenhum familiar na cidade e trabalhava no Aeroporto de Lisboa. O namorado dela, por sua vez, foi detido por dirigir sem carteira de habilitação, desobediência e condução perigosa. A polícia instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias do caso.
 
O Correio procurou o Itamaraty, que afirmou não ter ainda nenhum detalhe sobre o caso.  



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade