Ministério Público Militar denuncia 11 oficiais por desvio de R$ 150 mi

Na lista de denunciados que fazem parte do Exército estão três coronéis da reserva e um coronel e dois majores ainda na ativa, além de cinco civis

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/12/2017 13:06 / atualizado em 05/12/2017 16:24

Bruno Peres/CB/D.A Press
 
O Ministério Público Militar (MPM) denunciou 11 pessoas por estelionato e violação de dever funcional para obtenção de lucro em esquemas de fraude e de pagamentos de propina no Rio de Janeiro. Os desvios envolvem civis e militares, e causaram um prejuízo de, pelo menos, R$ 150 milhões aos cofres públicos.
 
Na lista de denunciados que fazem parte do Exército estão três coronéis da reserva e um coronel e dois majores ainda na ativa, além de cinco civis. A denúncia foi oferecida há um mês para apreciação do Superior Tribunal Militar (STM), a mais alta Corte da Justiça Militar no país.
 
Segundo a denúncia, o esquema criminoso funcionou entre setembro de 2005 e dezembro de 2010, e envolvia fraudes em procedimentos de dispensa de licitação, e em contratos celebrados entre o Departamento de Engenharia e Construção (DEC) do Exército e de fundações privadas.
 
Procurado pela reportagem, o Exército informou, em nota, que abriu inquérito para apurar os fatos e ressaltou que "não compactua com qualquer tipo de irregularidade praticada, repudiando veementemente fatos desabonadores da ética e da moral".
 

Confira a nota do Exército na íntegra: 

"O Exército Brasileiro (EB), ao tomar ciência do fato e em cumprimento ao que determina a legislação vigente, abriu um Inquérito Policial Militar para apurar o acontecido.

Enquanto o processo encontrava-se em poder do Ministério Público Militar, a Força Terrestre prestou todo apoio àquela Instituição em suas solicitações.

No caso específico do Instrumento de Parceria estabelecido entre o EB, por intermédio do Departamento de Engenharia e Construção (DEC), com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), não houve qualquer irregularidade, não tendo sido objeto da presente denúncia.

Cumpre destacar que o EB não compactua com qualquer tipo de irregularidade praticada, repudiando veementemente fatos desabonadores da ética e da moral que devam estar presentes na conduta de todos os seus integrantes."
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.