Publicidade

Estado de Minas

Comerciante e barman acham carteira com R$10 mil e devolvem para argentino

Apenas uma hora foi necessária até que a carteira fosse devolvida ao dono, um argentino hospedado em um hotel cinco estrelas


postado em 27/12/2017 11:47

Marcos Nascimento e Marcelo Farias, ambos moradores da Favela da Rocinha, trabalhavam no calçadão quando viram o objeto deixado para trás(foto: Marcello Farias/Arquivo pessoal)
Marcos Nascimento e Marcelo Farias, ambos moradores da Favela da Rocinha, trabalhavam no calçadão quando viram o objeto deixado para trás (foto: Marcello Farias/Arquivo pessoal)

Um comerciante e um barman ganharam as redes sociais ao encontrar uma carteira com equivalente a R$ 10 mil em notas de reais, euros e dólares no calçadão da praia de São Gonçalo, no Rio de Janeiro. Marcos Nascimento e Marcelo Farias, ambos moradores da Favela da Rocinha, trabalhavam no calçadão quando viram o objeto deixado para trás. Eles não pensaram duas vezes e publicaram foto de tudo que havia dentro dela nas redes sociais em busca do dono. Enquanto a publicação era compartilhada, ambos saíram pelos hotéis da cidade para tentar encontrar alguém com aquele nome registrado como hóspede.

Apenas uma hora foi necessária até que a carteira fosse devolvida ao dono, um argentino hospedado em um hotel cinco estrelas. “Se eu não ralei, eu não mereci. Tenho que correr atrás, eu tenho duas pernas, tenho vista, eu tenho que correr atrás. Trabalhar pra ter o meu e não dos outros”, afirmou Marcelo Farias em entrevista à TV Globo. O turista ficou tão grato que os presenteou com uma nota de US$ 100 (equivalente, hoje, a R$ 330). Não demorou muito para a recompensa ganhar destino certo: “A gente está sabendo que tem uma família na Rocinha que a casa pegou fogo e estamos pensando em dar o dinheiro para ela”, explicou Marcos. Apesar do ato de bondade, nenhum dos dois aceita elogios. “A única coisa que o homem tem é o caráter”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade