Publicidade

Estado de Minas

Bebê que nasceu após mãe ser baleada na cabeça recebe alta e passa bem

Caso aconteceu no Rio de Janeiro, em 13 de janeiro. Michelle Ramos recebeu alta 11 dias depois de ser atingida, mas o filho seguia na unidade de saúde até esta segunda-feira


postado em 05/02/2018 23:46 / atualizado em 06/02/2018 13:01

(foto: Reprodução TV)
(foto: Reprodução TV)
 
 
O bebê Antônio Esdras, filho de Michelle Ramos da Silva Nascimento, de 33 anos, recebeu alta nesta segunda-feira (5/2) do Hospital das Clínicas Mário Lioni, no Rio de Janeiro. A mãe da criança foi baleada na cabeça durante um assalto na região de Belford Roxo, no estado fluminense, em 13 de janeiro. Segundo a assessoria do hospital, a criança ainda terá acompanhamento para investigar se haverá ou não sequelas. 


Michelle estava grávida de 8 meses quando ela e o marido foram abordados por homens armados. Ela foi atingida na cabeça, quando os ladrões pensaram que o motorista do veículo tentaria uma fuga. Socorrida, passou por uma cirurgia de descompressão craniana e, ao mesmo tempo, médicos fizeram uma cesariana na paciente. Michelle recebeu alta em 24 de janeiro. Já a criança foi liberada 12 dias depois da mãe.
 

Outro caso 


Larisse Isídio da Silva, 21, também deixou o Hospital Municipal Lourenço Jorge nesta segunda. Ela foi baleada durante um assalto em 21 de janeiro, na praia da Reserva, zona oeste carioca. 

A estudante levou um tiro no abdômen, enquanto dois assaltantes tentavam fugir da abordagem de um policial militar. O PM estava de folga tinha sido assaltado, na areia da praia. Pensando que uma das armas dos criminosos era de brinquedo, correu atrás dos assaltantes. Em reação, um dos rapazes disparou e atingiu a jovem. 

Violência constante


O Rio de Janeiro vem sendo palco de diversas ocorrências policiais, decorrentes da criminalidade no estado. Na manhã da última quinta-feira (1º) a Linha Amarela, uma das principais vias expressas do Rio de Janeiro, que liga as zona norte e oeste da cidade foi interditada. Segundo a Polícia Militar, uma viatura passava pela rodovia quando foi atacada por tiros.
 
* Estagiária sob supervisão de Anderson Costolli 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade