Passe o próximo feriado na Chapada Diamantina

Depois de um semestre cheio de trabalho, é hora de renovar as energias e se aventurar pelos cânions e cachoeiras do Parque Nacional

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/09/2017 18:53 / atualizado em 13/10/2017 10:48

Está chegando o final do ano e o trabalho é tanto que as férias parecem cada vez mais distantes. Se você é aventureiro de plantão, já deve estar louco para dar uma pausa na rotina e respirar ar puro. E não há nada melhor do que conhecer um lugar novo, fazer aquela trilha e mergulhar na água gelada da cachoeira, que desperta todos os neurônios do corpo, dando uma recarregada nas baterias e ficando pronto para dar aquele gás no trabalho e cumprir as metas do semestre. A dica é passar uns dias na Chapada Diamantina, um complexo de maravilhas da natureza com direito a quedas d’água, grutas, poços, mirantes, trilhas e muitos esportes radicais.

 

 

 

O parque se destaca como paraíso do trekking, caminhadas de longa duração, com muitas opções de desafios e travessias incrivelmente bonitas. Existe também a opção de fazer esses caminhos de bike, quadricíclo e até mesmo a cavalo em uma grande variedade de lugares, tanto para quem não tem familiaridade quanto para pessoas com mais experiência em guiar o animal.  Escaladas e rapel também podem ser praticados nos três estilos (tradicional, esportivo e Boulder) em lugares de fácil acesso, na sombra e ao lado de cachoeiras, coisa que não é muito comum em outros lugares do país. Mas para quem gosta de adrenalina sem fazer muito esforço, tem várias opções de arvorismo e tirolesa em poços maravilhosos.  Na água, é possível fazer flutuação com snorkel, canoagem e stand up. O parque também é referência nacional de vôo livre e paramotor (parapente com motor), com uma rampa novinha inaugurada em 2015. 

 

 

 

 

O aspecto histórico da Chapada também é cativante. A Associação Grãos de Luz, desenvolve um projeto inspirado no Griô, um personagem mítico que percorria os sertões da África contando as histórias do seu povo. Através das trilhas griô, podem ser realizados diversos roteiros que misturam hospedagem em comunidades quilombolas, oficinas para fabricação de produtos artesanais, rodas de conversa e apresentações culturais. Interagir com a comunidade local, participar das festas tradicionais e viver a rotina de interior também é possível em algumas fazendas, como o Complexo Turístico Fazenda Santo Antônio e a Fazendinha & Tal Alambique (ótima para degustar cachaças), em Lençóis (única com acesso para cadeirantes); o Sítio Monte Alegre (centro de bioconstrução com sistema de voluntariado) e a Fazenda Terramater (voltada para estudantes interessados em agroecologia e cultivo biodinâmico), em Ibicoara; a Fazenda  Riachinho, no Vale do Capão; a Pousada Vaccaro (local de produção da cachaça Serra das Almas), em Rio das Contas. E para quem gosta de história antiga, há quatro sítios arqueológicos de arte rupestre dentro da reserva.

 

 

 

O legal é que em qualquer feriado já é possível aproveitar bastante. De quatro a sete dias hospedado por ali, dá tempo de conhecer os principais pontos. No entanto, a infraestrutura turística está espelhada por vários municípios. Por isso é preciso se organizar antes e escolher os lugares que mais deseja conhecer, para não perder muito tempo na estrada. Agências de turismo também oferecem várias opções de roteiro, que incluem pontos localizados no entorno do Parque Nacional. Os pacotes podem ser adquiridos tanto pela internet quanto na cidade escolhida.  É extremamente importante estar acompanhado de alguém que conheça bem os lugares pois a área é muito grande e é muito fácil se perder. É interessante também que a pessoa tenha informações a respeito da geologia, da fauna e da flora, e tenha treinamento de primeiros socorros. Para ficar mais fácil, você pode entrar em contato com um clube de turismo, que organiza tudo para você, desde transporte e hospedagem até os passeios. 

 

Vale do Pati
 

 

 

A infraestrutura turística da Chapada Diamantina está espalhada pelos municípios de Lençóis, Mucugê, Andaraí, Ibicoara, Palmeiras, Rio de Contas e nas vilas de Igatu e Vale do Capão. Então para montar um bom plano de viagem, é bom saber em quais cidades estão as atrações que quer visitar. Você pode encontrar uma lista completa de lugares aqui. Na hora de montar a mochila, não deixe de levar tênis, roupas leves, um kit medicinal, toalha e canga, protetor solar, garrafinha de água, boné, óculos escuros, calça e casaco (pois faz frio de noite!), roupa de banho, repelente, lanterna, chinelo, capa de chuva e sacola plástica para recolher seu lixo e manter o espaço preservado. Agora que você já sabe tudo o que é preciso para curtir uma viagem incrível, é só marcar a data!

 

 

Quer saber mais dicas de lugares incríveis que valem a pena ser visitados?

Clique aqui e encontre a opção que mais combina com você.  

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante

Bancorbrás