cidades df

MAUS-TRATOS » Aluno agredido por professora em escola pública recebe apoio psicológico A criança inicia acompanhamento médico para tratar hiperatividade e possíveis consequências da humilhação sofrida em sala de aula

Naira Trindade

Publicação: 18/06/2010 07:00 Atualização: 18/06/2010 08:35

A professora presa por amordaçar e amarrar uma criança de 6 anos a uma cadeira dentro da sala de aula na Escola Classe Jardim Botânico foi afastada das atividades escolares sem data para retorno. Segundo a Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF), a educadora vai responder a uma sindicância aberta pela rede e a um processo criminal por maus-tratos, constrangimento ilegal e submissão ao ridículo, aberto pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente. Especialistas avaliam que a atitude da docente é um retrocesso na educação escolar. Ontem, o menino teve a primeira consulta com o psicólogo que vai acompanhá-lo no tratamento da hiperatividade.

A caminho da primeira consulta do menino com um psicólogo, os pais da criança não conseguiam esconder a decepção. “Jamais imaginei que isso um dia fosse acontecer com o meu filho”, lamentou a mãe, que é balconista e tem 38 anos. O garoto é o único filho do casal, que mora em São Sebastião e está junto há 10 anos. Os pais nunca encostaram um dedo na criança. “Não precisamos bater para educar”, emendou o pai de 33 anos. Desde o início do ano, a professora acusada de agredir o aluno havia diagnosticado sintomas de hiperatividade no menino. Ele tem dificuldades em manter a concentração nas aulas, brinca e conversa com os outros estudantes, o que atrapalha o rendimento das aulas. Ciente do problema, há um mês, a mãe havia marcado uma consulta para buscar ajuda. O garoto já havia passado por uma triagem médica, mas a primeira visita estava prevista para ontem, um dia após ele ter sofrido a agressão na escola.

Processo
Os pais ainda não decidiram se vão processar a docente pelos maus-tratos cometidos contra a criança diante de todos os alunos da turma do 1º ano da Escola Classe Jardim Botânico. “Quero esfriar a cabeça antes de tomar a decisão”, revelou a mãe. Ontem, os colegas de classe demonstraram curiosidade e agitação com o ocorrido. Esse foi o primeiro caso de castigo severo registrado no centro de ensino, que conta com 498 crianças matriculadas nos turnos matutino e vespertino. O sociólogo e professor da Universidade Católica de Brasília Vicente de Paula Faleiros acredita que, apesar de assustadora, a atitude da professora não deve deixar traumas. “Foi uma ação eventual, não uma violência constante, portanto, não deve deixar sequelas. Mas é importante mostrar à criança que a ação é interpessoal e não institucional para que ela não tenha medo da escola”, explicou.

Para o professor, a atitude da educadora — que tem 32 anos de carreira e um currículo exemplar — retrocede ao tempo em que técnicas de castigo eram utilizadas para disciplinar os alunos. “Estamos na era do diálogo, quando a família e a escola devem se comunicar. No passado, os alunos tinham que se ajoelhar no milho, ficar de castigo no canto da sala ou receber a palmatória como forma de punição. Isso é um retrocesso”, completou.

Segundo o coordenador jurídico do Sindicato dos Professores do Distrito Federal, Washington Dourado, a docente está envergonhada e com problemas pessoais, o que pode ter influenciado a ação descontrolada. “Ela não quer dar entrevistas, mas vamos acompanhá-la durante todo o processo. Ela é exemplar, nunca teve problemas e, durante os 32 anos de profissão, quase não faltou ao trabalho preocupada em não comprometer a educação dos alunos. O Estado é responsável em não ter dado suporte ao aluno desde as primeiras reclamações dela, feitas no início do ano. Além disso, a professora também estava com problemas”, pontuou Dourado.

A educadora, que já foi indiciada, ficará longe da sala de aula durante o período em que a sindicância estiver em andamento. “Vamos fornecer acompanhamento para que ambos superem a situação. A atitude demonstra que ela não está em condições de dar aulas. Após o processo, vamos analisar a saúde dela, mas não há prazo previsto para o fim dos procedimentos”, concluiu a subsecretária de Educação Integral, Cidadania e Direitos Humanos da SEDF, Ivana Torres.

Esta matéria tem: (54) comentários

Autor: juliana pereira
Patricia, você não sabe do que uma criança de 5 anos é capaz. Já tive alunos hiperativos e nunca apanhei deles, já apanhei dos que não tinham. E não foi pouco não. Outra coisa, meu pai e minha mão nunca me negaram um tapa na hora certa. Hoje não sou nada traumatizada. | Denuncie |

Autor: Dailer Pinheiro Costa
Marquem uma consulta com o psicólogo para os pais, eles também vão precisar. Não sei exatamente o que pai quis dizer com "mão é preciso bater para educar". Disciplinar é necessário. Pelo visto mais um vai crescer sem disciplina. "Nunca encostaram um dedo na criança"? | Denuncie |

Autor: Patrícia Lima
fala sério estamos falando de uma criança de 5 anos com problemas de doença sim porque hiperatividade É DOENÇA, se essa professora não tem paciência ou preparo para trabalhar com criança saia dessa aréa, e ainda tem gente querendo dizer que a professora tem razão!!!!!!!! NADA JUSTIFICA. | Denuncie |

Autor: maques bijos
Democracia em sala de aula é palhaçada mesmo. O professor tem que exercer a autoridade dum jeito ou de outro. | Denuncie |

Autor: maques bijos
Esse é o resultado de criança que pode tudo. O professor tem que voltar a ser autoridade dentro de sala de aula. Tem muita frescura na legislação. | Denuncie |

Autor: maria sabino
Antigamente uma família ficava orgulhosa quando uma filha se formava em professora. A famosa e chamada carinhosamente de "professorinha". Hoje é melhor a filha fazer concurso para o polícia do Rio do que ser professora. Ela vai ter tb acompanhamento psicológico pelo estado? | Denuncie |

Autor: Alice AD
É fácil a mídia ficar atacando essa professora...não acho certo o que ela fez mas sei o que um professor passa em sala de aula, sou professora e sou desrespeitada todos os dias por alunos e pais de alunos...mas nessas horas horas sempre dão razão ao aluno...palhaçada! | Denuncie |

Autor: Camilla Peregrino
é fácil dizer q ela está errada, mas pra quem sabe o q é enfrentar turmas gdes e alunos sem educação e que não respeitam o professor, não é difícil entender. Ela não está certa, mas chegou ao limite. Ela sim precisa de ajuda, esse menino precisa receber educação e atenção dos pais por conta da hiper | Denuncie |

Autor: Camilla Peregrino
Acredito que somente os professores conseguem compreender a atitude dessa profissional da educação. Vcs me desculpem, mas não posso me calar ao ler que ela cometeu um crime! Antes de julgar é preciso avaliar sob que condições ela cometeu esse deslize. Para quem nunca enfrentou uma sala de aula | Denuncie |

Autor: Osmar Costa
Certamente e bem mais fácil para os Estado e para os Pais condenar a Professora que ofercer condições eficientes para educação. Também tenho filho com sintomas de hiperatividade e, diante da ineficiencia do Estado, resolvi afastá-lo... . | Denuncie |

Autor: juliana pereira
Ñ concordo com a ação. Mas imaginem as situações que essa pobre vivenciou para chegar ao extremo. Já apanhei de aluno, levei tapa na cara, mordida e nem por isso fiz nada parecido com eles. Os pais devem impor limites e a escola auxiliar na mediação do aprendizado. 32 anos de educação ñ são 32 dias. | Denuncie |

Autor: juliana pereira
Então eu que sou professora, não tenho filhos, ajudo pais que me procuram com a fala:"não tô dando conta professora. O que faço?" E eu sei? Eu tento, mas não sei! Uma criança com uma necessidade educacional diagnosticada, nos possibilita o olhar diferenciado. Mas tudo é parceria. | Denuncie |

Autor: juliana pereira
Também sou professora e concordo com o Leonardo, não temos obrigação de educar, dar limites. Não concordo com o que ela fez. Mas olhem isso que lindo:O exercício do poder familiar, do qual decorre a obrigação de educar, segundo o artigo 1.634, inciso I, do Cód. Civil, é atribuição dos pais ou tutores | Denuncie |

Autor: wandy penna
e a professora quem vai pagar o terapeuta pra ela. PROFESSOR TEM QUE APONSENTAR AO 20ANOS DE MAGISTÉRIO, A PROFISSÃO É MUIITO DESGASTANTE | Denuncie |

Autor: heloisa santos
O que essa coitada deve ter passado com esse moleque não deve ser brincadeira,quase se aposentando ter que enfrentar um caos desse em sua vida,espero que façam tudo com cuidado para não prejudicá-la depois de tanto tempo de dedicação,e que os pais façam o tratamento e eduquem melhor esse menino. | Denuncie |

Autor: Leonardo Bueno
Sou professor e já cansei de ouvir pais dizerem q não sabem o q fazer com seus filhos problemáticos ou q seus filhos são problema da escola. Sou pago pra ensinar e não pra educar filhos q não respeitam seus próprios pais. Alguns deveriam voltar pra sala de aula pra aprenderem a serem pai de verdade. | Denuncie |

Autor: Silvia Castro
Com certeza senhor Carlos Sera, fui sindica de um condominio de quitinetes de 20m, la morava com os pais uma criança que n tinha o menor limite e respeito pelas pessoas, advertido o pai sobre os problemas, processou o condominio pedindo indenização dizendo q o filho era HIPERATIVO! Perdeu claro! | Denuncie |

Autor: Viviana Teles
Os professores que são agredidos por alunos também passam por apoio psicológico? O Conselho Tutelar vai até a casa da criança pra saber como está sendo ministrada a educação pela família. Ou simplesmente é mais um caso explorado pela mídia para buscar a comoção da sociedade? ( 2 ) | Denuncie |

Autor: José Silva
EDUCAÇÃO PÚBLICA DE BRASÍLIA É UM CAOS. QUEM TEM CORAGEM DE LOCOCAR O FILHO EM ESCOLA PÚBLICA??? NEM PROFESSOR. | Denuncie |

Autor: Lara Macêdo
Envergonhem-se de seus comentários insanos, descabidos e desproporcionais contra uma mestra que surtou e uma criança que tem problemas de hiperatividade. Apesar da notícia desastrosa avaliem que não se trata de uma criminosa e de um vagabundo e deixem as autoridades julgarem com justiça. | Denuncie |

Autor: Silvia Castro
Tenho pena da professora, deve ganhar uma mixaria mesmo com tantos anos de profissão e ainda ter que passar por isso, as crianças devem aprender respeito em casa, pelo jeito esse garoto não aprendeu, tanto os pais como o estado foram omissos, estes sim deveriam ser processados, simpl jogarm a bomba! | Denuncie |

Autor: Silvia Castro
Fico com pena da professora, deve ganhar uma mixaria pra ter que passar por isso, uma criança que não tem limites em casa, imagino o que ela não passou pra poder surtar dessa forma, tanto os pais como a escola são completamente omissos, por isso que está difícil alguem querer trabalhar como pofessor. | Denuncie |

Autor: Michele Leite
E se você vai fazer qualquer reclamação sobre a conduta do aluno, é perigoso ser agredido em sala. Me preocupo mto com o futuro desta geração onde os pais não impõe limites,onde crianças crescem cada vez mais revoltadas e sem educação nenhuma.E é por isso que acontece esse tipo de coisa.... | Denuncie |

Autor: Michele Leite
Eu como professora sei o qnto as crianças de hoje estão terríveis...Qndo eu estudava, se houvesse uma reclamação da parte da professora sobre a minha conduta,eu era punida conforme o que fazia.Simplismente hoje os pais colocam os filhos na escola e transferem a obrigação de "educar" para o professor. | Denuncie |

Autor: Marcos Prado
Como esse mundo muda eim ! A tempos atrás os professores participavam da educação diretas dos alunos. Hoje além de não reprovarem, com a tal dependência, os professores tem que aguentar tudo que os alunos fazem. Mas, psicologia não acha certo corrigir, o ECA só atrapalha, pq será que o caje tá cheio? | Denuncie |

Autor: jorge lima
32 anos de profissão. Quantos milhares de alunos essa verdadeira cidadão no consertou e hoje são GRANDES PROFISSIONAIS. Prefiro ver a parte boa da maçã, prefiro ver a metade cheia do copo dágua. | Denuncie |

Autor: maria sabino
A verdade é que muitos desses capetinhas não tem criação. Não tem pai, nem mãe. Todod mundo cria, só quem não cria é quem pariu. Pobre só colocando filho no mundo para o estado criar. Escola vai ter que ter uma jaula daqui à pouco. | Denuncie |

Autor: Juliana Wichocky
Como disseram, pra esta professora chegar onde chegou ela teve motivos. A criança com certeza nao é nenhum anjo. FALA SERIO, Falta PAI e MAE nessa hora. Fazer filho é BOM, educar nao sabem. | Denuncie |

Autor: Juliana Wichocky
Pra Criança mal educada, TUDO. Pra coitada da Professora que tem que aturas a peste, NADA! | Denuncie |

Autor: Cláudia Silva
quando tentamos resolver um problema e a solução não vem logo, procuramos o caminho mais fácil e nunca ele é o melhor, e logo esse menino esquecerá do que aconteceu, pois ainda não tem discernimento suficiente. | Denuncie |

Autor: Cláudia Silva
È um desafio ser professor, pois muitas vezes os pais julgam que a escola é o único lugar em que as crianças devem receber educação e valores morais. Se ela chegou a esse extremo deveria estar sofrendo um profundo estresse emocional, claro que isso não justifica a atitude dela mas nós seres humanos | Denuncie |

Autor: Alexandre S.
Quem nunca ficou de castigo, de joelhos nos caroços de milho, que jogue a primeira espiga . . . . | Denuncie |

Autor: Alexandre S.
A palmatória deveria voltar . . . e naquela época nem tinha frescura psicológica. E nem porque os alunos apanhavam com palmatória naquela época, ficaram transtornados . . . . | Denuncie |

Autor: Sandra Castro
Que crime Agustinha?! Lembre-se no tempo de seus pais, como eram os professores, e você está aqui hoje para contar as histórias. Já tive problemas com professores, pelo fato de ser canhota, e eles não aceitarem isso. Não precisei de psicologo e não tive trauma algum. Educação vem de berço. | Denuncie |

Autor: michele sousa
Tinha que punir era essa mãe que negligenciou a educação do filho, pois esse comportamento não apareceu de uma hora para outra certamente em casa seu comportamento não é dos melhores. Se com 05 anos é assim, quando mais velho como será???? | Denuncie |

Autor: michele sousa
Estamos na era do dialogo? É por isso que a bandidagem está só aumentando. Umas palmadas, no lugar certo e na hora certa não mata ninguem! | Denuncie |

Autor: Sandra Castro
Continuando... Todo mundo tem ou já teve algum(ns) problema na vida. Provavelmente, os pais nem sabiam que ele possui hiperatividade. E criança abstrai algumas coisas, essa atitude não deixaria trauma na criança, o que deixa é a imprensa e a população com toda essa agitação. | Denuncie |

Autor: Sandra Castro
Pessoal, a criança e/ou adolescente que tem hiperatividade ou qualquer outro tipo de doença, tem que avisar para a Direção e aos professores do aluno, pois tendo o conhecimento do diagnóstico da criança, o professor e a Direção vai saber como lidar com ele. Ninguém tem bola de cristal. | Denuncie |

Autor: Carlos Sera
Essas crianças de hoje em dia estão cada dia mais astutas, não são mais inocentes. Esse menino deve ter atormentado bastante a coitada. Abram seus olhos e eduquem bem os seus filhos. Têm menino que parece que tem o cão no corpo esse devia ser um. | Denuncie |

Autor: jairo santos
Os meios não justificam os fins. Porém, vale a pena avaliar a vida profissional da educadora, nós leitores, avaliaremos conforme as informações que nos chegam, mas a justiça tem ascesso a informações desconhecidas, quem sabe ela também não precise de um apoio externo e não de simples condenação! | Denuncie |

Autor: Agustinha Torres Carvalho
Comentário infeliz desse Paulo Amorim, um erro não justifica outro. A professora cometeu um crime e terá que pagar por isso. ainda mais qdo se trata de violencia contra criança. está na hora das autoridades tomarem providencias energicas. professor para educar não para maltratar o aluno. | Denuncie |

Autor: Vanessa Sodré
Esse guri devia tá pentelhando muito na sala pra coitada surtar assim.Agora todo mundo acha um absurdo o q foi feito com ele.E com Ela??Precisou tudo isso acontecer pro pestinha ter apoio psicólogico.Caráter vem de berço! | Denuncie |

Autor: Vanessa Sodré
A coitada teve q surtar pra esse pentelho receber apoio psicólogico.imagine o q ela deve ter aguentado na sala pra ghegar nesse ponto,devia ser uma peste na sala aí chega em casa bancando o santo.todos devem achar um absurdo o q foi feito com ele.E com ela?? Ninguém fala nada?? | Denuncie |

Autor: Jerusa Dantas
A professora errou e feio, mas a direção foi incompetente para resolver o caso. Porque antes não ofereceram apoio psicológico tanto pra o aluno, como para a professora já que a direção tinha conhecimento da hiperatividade do aluno? | Denuncie |

Autor: Vanessa Sodré
Precisou a coitada surtar pra q esse pentelho tivesse apoio psicológico.Imagine o q ela aguentou pra chegar nesse ponto esse guri deve ser uma peste dentro da sala aí chega em casa bancando o santo.Todo mundo acha um absurdo o q foi feito com ele.E com ela??ninguém vê?? | Denuncie |

Autor: Vanessa Sodré
A coitada teve que surtar para o guri receber tratamento psicológico.Imagine o tanto q ele deve ter pentelhado na sala pra q ela tomasse essa atitude.Deve ser um ser um "anjinho" esse muleke.Aí todo mundo acha um absurdo o q ela fez.E o q foi feito com ela ninguém vê? | Denuncie |

Autor: Vanessa Sodré
A ação da professora não foi exemplar mas o guri não era nenhum santo devia ficar pentelhando dentro da sala uma hora a coitada não aguenta mais.Aí todo mundo acha um absurdo o q fizeram com o "anjinho".Ah tenha paciência! Depois q vira bandido ninguém entende.Caráter vem de berço! | Denuncie |

Autor: francisca silva
Senhores a professora precisa de um tratamento. Esta profissional está prestes a se aposentar e tenho certeza que ela chegou a esta atitude por problemas. Não é moleza trabalhar 20 tantos anos dando aula. Nossos professores estão doentes. A faculdade não prepara para atender alunos problemáticos. | Denuncie |

Autor: NETT SIMONETT
TENHO DOR E DA PROFESSOURA ELA E QUE MERECE SER ATENDIDA POR UM PROFISSIONAL SE NEM OS PAIS AGUENDA O PROPIOS FILHOS REBELDES DÃO GRAÇAS AS DEUS QUANDO ELES VÃO PARA O COLEGIO A EDUCAÇÃO TEM QUE SAIR DO LAR PROFESSOURA E PROFESOURA ELA NÃO FAZEM MILAGRE COM FILHOS REBELDE DOS OUTROS | Denuncie |

Autor: PAULO LOPES
Esse menino merece umas boas palmadas, deve ser um capetinha com certeza. Mães eduquem seus filhos, não deixe para o mundo educá-los. | Denuncie |

Autor: maria sabino
Agora vai ter acompanhamento psicológico. Quero saber se os pestinha tb recebia tratamento psicológico devido sua mau criação. Coitados dos professores que tem que aturar esses capetinhas. Ah, e agora tb vamos pagar indenização para o pestinha. | Denuncie |

Autor: ELIAS PEREIRA
E A OMISSÃO DA DIREÇÃO SERÁ APURADA PELA SEE. PARA CHEGAR A ACONTECER ISTO HOUVERAM OCORRENCIAS REGISTRADAS. A PROFESSORA ESTA ERRADA DE TER FEITO O QUE FEZ, MAIS ELA NÃO É SOZINHA NA ESCOLA. SE TODA DIREÇÃO CHAMAR A POLICIA TEM QUE CRIAR O BATALHAO DE POLICIA DIREÇÃO DE ESCOLA | Denuncie |

Autor: ELIAS PEREIRA
E A DIREÇÃO DESTA ESCOLA, RESOLVE PROBLEMAS INTERNOS CHAMANDO A POLICIA? NÃO SABE ADMINISTRAR OCORRENCIAS INTERNAS? O QUE A SEE VAI FAZER. NA ESCOLA QUE EU TRABALHO NOS DA DIREÇÃO ADMINISTRAMOS OS PROBLEMAS COM ALUNOS PARA NÃO CHEGAR A ESTE PONTO...KD O RIENTADOR DA ESCOLA? | Denuncie |

Autor: Paulo Amorim
Os professores que são agredidos por alunos também passam por apoio psicológico? O Conselho Tutelar vai até a casa da criança pra saber como está sendo ministrada a educação pela família. Ou simplesmente é mais um caso explorado pela mídia para buscar a comoção da sociedade? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE


  • Últimas notícias
  • Mais acessadas