cidades df

Mensalidades de escolas particulares terão aumento entre 5% e 11% Hoje, empresários do setor reúnem-se para decidir o índice médio que incidirá sobre os valores cobrados

Diego Amorim

Publicação: 30/09/2010 07:30 Atualização: 30/09/2010 07:30

Pelo quarto ano consecutivo, as escolas particulares do Distrito Federal vão impor aumentos na mensalidade que podem romper a barreira dos 10%. Representantes dos principais colégios se reúnem hoje para discutir a planilha de custos e chegar a um percentual médio. Levantamento feito pelo Correio durante esta semana, porém, mostra que, em 2011, os preços subirão de 5% a 10%. A presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do DF (Sinepe-DF), Amábile Pacios, adiantou que, em algumas instituições, o reajuste alcançará 11%, mais do que o dobro da inflação acumulada do ano, que é de 4,57%, segundo o Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA) medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As despesas das escolas incluem folha de pagamento de professores e demais funcionários, impostos, materiais de consumo e tarifas públicas (aluguel, água, luz etc.). Na hora de definir o reajuste anual, os diretores também levam em conta os investimentos em infraestrutura e a proposta pedagógica. Por exemplo: se o aluno tem direito a atividades extras — como balé, xadrez ou línguas não convencionais — a mensalidade tende a encarecer.

O período de matrículas começou em alguns colégios. Os que ainda não definiram o tamanho do aumento a ser aplicado a partir de janeiro de 2011 o farão hoje, após a assembleia do Sinepe-DF, ou até o fim de novembro, quando as últimas escolas abrem as portas para novos alunos. Há 220 estabelecimentos de ensino vinculados ao sindicato do setor. Incluindo os não filiados, esse número sobe para 450, em todo o DF.

Liberdade

A presidente do Sinepe-DF, Amábile Pacios, explica que cada escola tem liberdade para ajustar as mensalidades como bem entender. Cabe ao sindicato, pondera, orientar tecnicamente aquelas que necessitarem de ajuda na elaboração da planilha de custos. Segundo ela, o reajuste anual é previsível. “Não se trata de aumento, mas, sim, de repasse de despesas. O custo de vida aumenta todo ano. As famílias sabem muito bem disso”, defende.

Amábile sustenta que o percentual dos repasses em questão não é abusivo. “Não há ‘gordura’ nesses valores. (Escola) não é um bom lugar para investir. A lucratividade média do nosso setor tem girado em torno de 3% ao ano, o que é considerada baixa”, afirma a professora, dona de uma escola. Ela conta que a inadimplência nos colégios de Brasília se mantém, historicamente, em torno de 15%, sendo que metade dos devedores quita a dívida antes da virada do mês.

O casal de cirurgiões dentistas Luiz Alberto, 45 anos, e Cristina Ramagem, 44, tem dois filhos matriculados em escola particular — uma de 10 e outro de 13 anos —, o que resulta em uma despesa mensal de quase R$ 1,5 mil. Ao saber do reajuste previsto para 2011, o pai se preocupa: “Por que não respeitar a inflação do período? Início de ano já é tão complicado, com pagamento de impostos e tantas outras taxas”. A mãe questiona para onde vai o dinheiro de tantos aumentos. “Se o dinheiro fosse, ao menos, para o salário dos professores…”, diz ela.

O diretor-geral do Instituto de Defesa do Consumidor do DF (Procon-DF), Oswaldo Morais, conta que os colégios têm obrigação de explicar aos pais e responsáveis o porquê do reajuste. “E ele (o reajuste) só se justifica se houver algum benefício”, completa. A orientação é para que os pais fiquem atentos às promessas que, segundo as escolas, justificam os novos valores. Quem se sentir lesado pelo aumento deve recorrer ao Procon ou ao Ministério Público, que podem investigar possíveis abusos.

Esta matéria tem: (14) comentários

Autor: Cacau Silva
Caio vc vai fiscalizar minha vida também?Vc é uma PÂNDEGA RSRSRRSRSRRS Para tudo está com resposta que acredita ser a CORRETA aiaiaiaiaiia | Denuncie |

Autor: Caio Cesar
Cacau Silva é regulamentado por Lei que as escolas tenham a obrigação de cumprir o mínimo de 200 dias letivos por ano... Se a escola está cumprindo não tem nada haver emendar até a semana toda, ou seja, semana do saco cheio, existente na maioria dos estados do Brasil. | Denuncie |

Autor: Kelly Lima
... Algumas pessoas comentaram aqui que quem está insatisfeito deveria colocar os filhos na escola pública, mas sabemos muito bem que a escola pública está doente. As particulares estão longe do ideal, mas menos do que as públicas... ainda! | Denuncie |

Autor: Kelly Lima
É um absurdo esse aumento!!! Meu salário não tem aumento a muito tempo. Aliás, meu patrão, o governo federal, prometeu um aumento escalonado que de fato nunca aconteceu. Mas todo o resto ao nosso redor aumenta de preço. Como vamos conseguir sobreviver desta maneira??? continua... | Denuncie |

Autor: Cacau Silva
cont..que me mandou procurar a Secretaria de Educação do DF, e ai?O MEC serve para que mesmo?O Ministro da Educação com certeza sabe desses despropósitos das Escolas e fecha os olhos e ainda compactua com esse ABUSO, já tivemos aumento nas mensalidades no início do ANO e agora de novo?Virou farra.. | Denuncie |

Autor: Cacau Silva
Se realmente as Escolas Particulares fizessem por onde Valeria pagar o que está na Lei.Acho um despróposito as Escolas Particulares EMENDAREM um dia útil tipo segunda dia 11/10 e 12/10 que é feriado, dai as crianças terão aulas somente no dia 13/10 quarta feira.Já entrei em contato com o MEC.... | Denuncie |

Autor: Arthur Goulart
A greve é válida, mas deve ter limites. Os usuários são prejudicados, tanto pessoas físicas , quanto jurídicas. Todos os serviços deveriam ser mantidos com uma quantidade menor de funcionários, mas nenhum já é demais. E mais, quer ganhar melhor? Faz outro concurso ou busca uma empresa que pague mais. | Denuncie |

Autor: Caio Cesar
Tatiana Jube se vc não tem condições de pagar coloca seus amados filhos na rede pública então. Aliás verifiquei no SERASA e vi que seu nome tá sujo por inadimplência... tá explicado seu comentário... Escola particular de graça pra pobre se chama ESCOLA PÚBLICA. Bjo e me liga viu. | Denuncie |

Autor: jose barros
todo mundo tem associação voces precisam criar a associação de pais de alunos do ensino particular pra fazer frente a estes caras. | Denuncie |

Autor: jose barros
Se o dinheiro fosse, ao menos, para o salário dos professores%u2026 | Denuncie |

Autor: ivana bastos
Todo ano é a mesma conversa... Precisamos sim, melhorar mais o ensino tanto público como privado. | Denuncie |

Autor: marcos paiva
Peraí, um aumento de 5 a 11%, mas eu só tive um aumento de 5,56% esse ano se passar de 5,5% já estou no prejuízo.Isso é inaceitável!!! | Denuncie |

Autor: Tatiana Jube
Essa "justificativa" colocada pelo Sr. Caio Cesar não convence. Fala sério! A escola esclarece as regras do jogo no contrato e não nas mensalidades! Se há inadimplentes, que eles sejam chamados para acertar suas contas. A forma da sociedade reagir é reconhecendo o valor do ensino público. | Denuncie |

Autor: Caio Cesar
Sem dúvida as escolas particulares do DF sofrem com a inadimplência dos maus pagadores e infelizmente os justos pagará pelos pecadores. É a lei da vida. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.


  • Últimas notícias
  • Mais acessadas