cidades df

MEC: escolas não devem reprovar nos 3 primeiros anos do ensino fundamental Recomendação do MEC para que as escolas não retenham os alunos dos três primeiros anos do ensino fundamental passa a valer em 2011. Medida causa polêmica, mas o DF adota modelo parecido desde 2005

Publicação: 19/03/2011 07:00 Atualização:

A partir deste ano, começa a valer a recomendação do Ministério da Educação (MEC) para que as escolas não reprovem os alunos dos três primeiros anos do ensino fundamental, criando um ciclo de alfabetização. A resolução não tem força de lei, mas trouxe à tona um debate antigo. Governos, organizações e a comunidade escolar voltaram a discutir a eficácia da reprovação, principalmente no período inicial da criança no ensino básico. A orientação do MEC faz parte de uma proposta do Conselho Nacional de Educação (CNE) para a estruturação dos nove anos da educação fundamental.

Como é uma sugestão, estados e municípios podem ou não aderir ao que diz o MEC. No Distrito Federal, por exemplo, a rede pública começou a trabalhar com o Bloco Inicial de Alfabetização (BIA) em 2005, que determina que alunos dos dois anos iniciais do ensino fundamental não podem repetir o ano. Mesmo assim, de acordo com dados do censo escolar 2009, o DF ainda tem uma taxa de 8,4% de reprovação nos quatro primeiros anos, sendo que no terceiro esse número sobe para 17,5%. A média brasileira para o primeiro é de 5%.

Segundo a coordenadora do ensino fundamental da Secretaria de Educação do DF, Luciana da Silva Oliveira, esses dados refletem os números de repetência por falta, quando o aluno perde mais de 25% das aulas. Mesmo assim, admite que a taxa é alta. “Na verdade, essa recomendação não teve repercussão aqui, já que em 2008 nós já tínhamos implantado o BIA em todas as regionais. Mas quando um aluno não tem a frequência necessária, ele reprova, não tem como. É um número preocupante, a ser observado ainda”, afirma.

Carlos Eduardo da Silva Sousa, 8 anos, é um dos exemplos desse novo método. Mesmo com dificuldades de aprendizado, seguiu para os anos seguintes até chegar ao fim do terceiro, quando reprovou. Segundo algumas de suas professoras, ele manteve uma postura brincalhona em relação às aulas durante os três primeiros anos, o que ele não nega. “Eu brincava toda hora, aí, reprovei. Minha mãe me deixou sem bicicleta por dois meses. Em português, minha nota é lá embaixo, mas eu tenho que passar agora para não ficar sem as coisas que eu gosto”, conta o menino, aluno da Escola Classe 305 Sul.

Consequências
É por conta de casos como o de Carlos Eduardo que a supervisora da escola, Cleuslene Portugal dos Santos, acredita que a questão é maior que a possibilidade ou não de reprovação. “A educação precisa de investimento na formação do professor, e a família tem que estar mais presente, independentemente do que se decida sobre a retenção do aluno”, defende. Para ela, não é bom reprovar um aluno, mas deixá-lo evoluir sem que ele tenha aprendido é “enganá-lo, já que mais cedo ou mais tarde ele vai ser retido”.

Entretanto, para a professora da Universidade de Brasília (UnB) Fátima Guerra, a reprovação não é admissível em hipótese nenhuma e pode causar consequências negativas para a criança. “Quando há retenção do aluno, a reprovação é também da escola. Todos nós somos programados para aprender. Quando isso não acontece é preciso prestar atenção no que está acontecendo, mas a função da escola é ensinar”, argumenta. A professora foi secretária de Educação do DF e conselheira do Conselho Nacional de Educação (CNE) e acredita que a escola deve lutar pela aprendizagem do aluno e acabar naturalmente com a retenção.

Esta matéria tem: (28) comentários

Autor: DANIELA SANTOS
repetir nos 3 primeiros anos do ensino fundamental ! eu não entendo acho que vcs gostam de dificultar as coisa , mais meu filho e outros alunos tem competencia de proseguir para á 1 serie basica .conclusão: em 2018 quando eles estiverem no 6 ano vão encontrar os repetentres do 2 ao 4 ano né ? | Denuncie |

Autor: DANIELA SANTOS
Ola ! bom dia , gostaria de saber se não poder repetir um aluno que não estar preparado para seguir . agora me explique pq o ensino infantil estar repetino os alunos por cousa da idade inclusive o meu estar entre esse aluno, mais o mutivo dessa lei é que ele venha repetir agora para nao ... | Denuncie |

Autor: ALEXANDRE ALMEIDA
Lecionei matemática 5 anos na Secretaria de Educação e pedi exoneração, professor é mal remunerado, muito cobrado e pouco valorizado pela sociedade. Hoje sou advogado, respeitado, bem remunerado, tenho qualidade de vida. Seria professor a vida toda, mas a educação está falida. | Denuncie |

Autor: sergio marques
É comodo jogar a culpa em quem trabalhou muito e enriqueceu,dificíl é ver professores empenhados em ensinar de verdade,para que não se tornem jovens inúteis e marginalizados o analfabetismo funcional é causado por ex-alunos que hoje são professores em busca de altos salários aqui no DF. | Denuncie |

Autor: sergio marques
Como sempre é muito fácil culpar os ricos que podem pagar escolas particulares de qualidade, e olha que não são todas, o que nós brasileiros com mais de 40 anos vemos é a busca dos professores das instituições públicas querendo salários altos, e não há mais a qualidade de ensino de outrora. | Denuncie |

Autor: ana lopes
o ensino vem sendo ruim a muitos anos só fazem normas Leis que nao são seguidas ...o ensino no Brasil está na UTI... E pelo ultimos passos que o governo anda dando vai ficar lá....trágicoooo | Denuncie |

Autor: ana lopes
...Cont...fiz a 3 serie toda odiei matemática minha vida toda escolar... passei nas outras series sem reprovar em nenhuma matéria, mas, fiquei com trauma do que aquela prof fez comigo vi meus amigos indo pra 4 serie e eu ali na 3 porque a professora me achava fraca..e o MEC o que fez por mim..nada | Denuncie |

Autor: ana lopes
Lembro quando estava na 3 serie ...e a prof no 4 semestre disse a minha mãe que eu era fraca pra ir para 4serie tinha passado com 4,85 ai arredontavam pra 5.00 só era fraca em matemática(minha prov baixouu a nota pra 4,5 chorei muito minha mãe aceitou mas não percebeu na época que aquilo ia ser ruim | Denuncie |

Autor: aline Aline IAC
O raciocínio é simples: a obrigação constitucional do Estado é garantir o ensino básico/fundamental. Logo, pra gastar menos por aluno eles reprovam menos ou simplesmente, como é o caso, não reprovam mais. Isso é ridículo! | Denuncie |

Autor: sergio batista
Realmente fomos programados para aprender, mas o sistema de "boa estatística" do governo, onde os números de aprovação são mais importantes que o real aprendizado do aluno só beneficia a classe rica que vê seus filhos nos melhores empregos. | Denuncie |

Autor: antonio alves
Mais viciados, mais pessoas com dificuldade de disputar uma vaga de trabalho, mais pessoas que irão direto para o sistema carcerário, mais analfabetos funcionais. Vejo que o Brasil esta preocupado com a educação: da elite. | Denuncie |

Autor: antonio alves
A cada notícia dessa fico assustado e pensando no tipo de cidadão que o Estado ajuda a formar. Teremos gerações de médicos, advogados, professores e demais profissionais incapacitados por esse tipo de pensamento: Reprovar causa trauma. Será que estão preocupados com os traumas que vemos na sociedade? | Denuncie |

Autor: sergio batista
O sistema de Educação do MEC de não reprovar é uma piada, onde só os ricos riem. Porque sabem que o sistema induz o aluno a não se esforçar. E os filhos dos ricos estudam prá valer e para o mundo atual, onde vence quem sabe. | Denuncie |

Autor: ducilneide drumond
O efeito negativo na cça reprovada vai acontecer quando ela ñ aprendeu a receber um não como resposta. A vida é feita de erros e acertos, de vitórias e derrotas. Apreparaçào deve começar cedo, nos primeiros anos de vida. É menos traumática. | Denuncie |

Autor: ASCB B
rasguem o ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE e essa regulamentação/orientação do MEC já! salvem nossas crianças! | Denuncie |

Autor: Nalva Silva
A hora da criança se acostumar com a escola, é a hora do Jardim de infância, 1,2 e 3 (já são 3 anos aí amiiigo), após isso, é hora de alfabetizá-lo, para que não se tornem igual essa juventude de hj que termina o segundo grau com erros grosseiros, sem capacidade para nada. | Denuncie |

Autor: francisca lima
os que nao sao repreendidos hoje soa futuros delinquentes!! | Denuncie |

Autor: Gisele Lemos
Indimissível é o fato de uma criança dessas evoluir na escola sem saber ler/ou escrever e chegar ao 9º ano(8ª série) sendo um analfabeto funcional e para piorar a sociedade acaba colocando na culpa nos professores, porém somos reféns de medidas como essa que nos tiram o brilho de ensinar! | Denuncie |

Autor: Tiago schultz
vcs devem mudar tabém o modo de se entrar no ensino superior, pois do jeito que está, as pessoas estão procurando mais status de um diploma do que difundir o conhemento com a comunidade e ajudar ao proximo. | Denuncie |

Autor: Tiago schultz
Isso é uma boa notícia. pois o efeito psicológico da reprovação numa criança é muito forte. as três primeiras séries servem para o aluno e se acostumando com os estudos. e obter um fracasso logo no inicio não seria bom. o culpado não é o aluno e todo um sistema educacional. | Denuncie |

Autor: joaquim pereira
Desobedecem os pais e não podem apanhar, não estudam e não podem ser reprovados, roubam, matam e estupram e não podem ser responsabilizados e presos... Irresponsabilidade e impunidade geral. Teremos uma geração de desmiolados e sem criatividade intelectual, terreno fértil para a cultura estrangeira. | Denuncie |

Autor: Ed Souza
Papo de pura demagogia ou frecura mesmo. Ninguém precisa aprender a base de porrada,mas necessita responsabilidade, desde cedo. Por isso temos essa juventude porcaria! Ninguém é obrigado a nada, até o momento que realmente precisa e vê que não teve formação educacional, familiar ou moral para isso. | Denuncie |

Autor: Eduardo Farias
É um ABSURDO as atitudes do MEC. Depois reclmam de instituições se quem tem o DEVER de FISCALIZAR faz tantas porcarias. Para começar o número de faltas dos alunos nas instituições que o MEC autoriza já é um ABSURDO e por aí vai. Definitivamente o GOVERNO NÃO QUER UM POVO ESCLARECIDO. | Denuncie |

Autor: Olavo Silva
Esse Governo que ai está tá pensando lá na frente, um monte de analfabetos que vão receber o bolsa família e votar neles. | Denuncie |

Autor: Bruno Lonx
Fico deprimido com isso. Ao invés de melhorar o sistema educacional, diminui-se o nível de exigência. Uma tentativa vã de racionalizar o erro, uma visão paternalista do fracasso e o brasileiro médio vai ficando mais burro. | Denuncie |

Autor: Roni Vedovo
Até quado vamos ouvir essa pedagogice de que criança repreendida (e reprovada) fica traumatizada? Traumatizada está a população, quando quem nunca foi repreendido na infância passa à adolescência e à vida adulta com a convicção da impunidade. Estudem, e não serão reprovados, é bem mais simples. | Denuncie |

Autor: Juscelino Reis
Acredito não ser tão simples a questão. E os alunos com reais necessidades de aprendizagem? Será que o MEC só quer números "positivos"?!... EDUCAÇÃO NÃO É SÓ APROVAÇÃO, DIGNIFIQUEM O EDUCADOR E TERÁ CIDADÃOS CONSCIENTES DE SEU PAPEL, inclusive quando votarem. | Denuncie |

Autor: Francinaldo Morais
Agora entendí pq vemos tantos adolescentes que já cocluiram o ensino fundamental mal conseguindo assinarem seus próprios nomes. | Denuncie |

Autor: nidia machado machado
cotas rende resultados eleitorais,fui da época da reprovação ninguém ficou tramautizada ,se temos professores mal remunerados e humilhados pela sociedade e alunos sem limites capaz de agrdi-los fisico e moral com apoio dos familires depois reclamam,e os especialistas da educação e no setor privado? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.