História dos pais que perderam os filhos em um acidente comove brasilienses

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 07/08/2011 08:00 / atualizado em 07/08/2011 08:34

Thalita Lins , Lilian Tahan

Rafael Ohana/CB/D.A Press - 23/7/11

Na última sexta-feira, o laudo pericial do acidente que vitimou os dois filhos do casal brasiliense Vyviane e Marcos Campos Moraes, em 17 de dezembro de 2010, — apresentado pela Divisão de Perícias Externas do Instituto de Criminalística de Goiás —, foi entregue pela Polícia Civil de Goiás ao advogado da família Campos Moraes, Rafael Pereira, e ao promotor de Justiça Marcelo Franco Assis Costa. Entretanto, o documento apresenta algumas lacunas. Rafael Pereira apontou a ausência de um elemento fundamental no relatório. “Não consta a velocidade do motorista da Saveiro (o engenheiro florestal Fabrício Rodovalho) no momento em que fez a ultrapassagem”, diz.

De acordo com o advogado, o promotor Marcelo Franco Assis Costa solicitará uma nova análise do laudo nesta segunda-feira. “O Dr. Marcelo irá fazer o pedido. O prazo para a elaboração do documento será de até 20 dias”, disse. O advogado de Fabrício, Divino Antônio, afirmou à reportagem que, até sexta-feira, não havia recebido o parecer elaborado pela perícia. “Só irei me manifestar após a leitura do documento e depois de uma conversa que terei com o meu cliente”, frisou. O promotor Marcelo Franco Assis Costa não foi localizado para comentar o assunto.

Há uma semana, o Correio mostrou a dor de Vyviane e Marcos Campos Moraes, que perderam os dois filhos — Pedro Lucas, 3 anos, e João Marcos, 7 — em um acidente de trânsito no Km 179,9 da BR-060. O caso, que vem sendo contado pelo jornal desde o último domingo, comoveu os leitores do Correio e internautas do correiobraziliense.com.br, que se solidarizaram com o episódio. Muitos se colocaram no lugar do casal, que vive na 304 Norte. Como o morador do Sudoeste Luiz Alberto Chaves, que refletiu o sentimento da população: “Fiquei imensamente triste ao ler a reportagem sobre o acidente em que um irresponsável vitimou duas crianças inocentes”. Ao longo da semana, outras manifestações de indignação e tristeza foram traduzidas pelos leitores e publicadas no jornal.

Punição
Enquanto tentam suportar a dor da perda, os pais ainda esperam pela punição do motorista do carro, que, ao dirigir na contramão, bateu frontalmente, em alta velocidade, no veículo em que viajavam com os filhos. O caso da família Campos Moraes é mais um exemplo do descaso do governo do estado. Foi preciso a intervenção do Ministério Público de Goiás para que o laudo fosse finalmente entregue aos investigadores.

A delegacia de Guapó, cidade goiana distante 208 quilômetros de Brasília, onde ocorreu a tragédia, é a responsável pelo caso. O documento é peça fundamental para determinar a culpa e apontar os motivos da colisão que vitimou as crianças.

O parecer do Instituto de Criminalística concluiu que, no momento da batida, a Saveiro conduzida pelo engenheiro ambiental Fabrício Rodovalho, estava a 94km/h, enquanto o Idea, onde viajavam Vyviane, Marcos e os pequenos Pedro Lucas e João Marcos, estava a 86km/h. Mesmo com a pequena diferença entre as duas velocidades, o motorista da Saveiro realizou uma ultrapassagem proibida, em local de faixa contínua, que ressultou na tragédia.

O laudo será anexado ao inquérito. A polícia deve concluir a investigação na próxima terça-feira, quando o caso passará a ser de responsabilidade do Ministério Público. Após estudar o documento, o promotor apresentará à Justiça denúncia contra o engenheiro ambiental.

Brutalidade
As crianças acompanhavam os pais em viagem à casa dos avós maternos. No momento da colisão, os dois assistiam a um filme e lanchavam. Pedro morreu na hora. João Marcos foi socorrido e lutou pela vida durante dois dias, mas acabou não resistindo. A Polícia Civil de Goiás demorou 181 dias para abrir inquérito e investigar as circunstâncias do acidente.

Convicção
Para formar a opinião sobre o acidente, tanto os delegados de polícia quanto o promotor de Justiça vão levar em consideração vários aspectos da investigação. Entre os elementos, há um boletim de ocorrência do Departamento de Polícia Rodoviária Federal. O documento descreve o acidente indicando que, “segundo testemunhas e vestígios encontrados no local do acidente, V1 (Saveiro Preta de Fabrício) trafegava pela BR-060 no Km 179,9, sentido Jataí/Goiânia, quando inadvertidamente em um local de proibida a ultrapassagem, faixa contínua, não respeitando um fluxo forte de veículos que trafegavam em ambos os sentidos, colidiu com V2 (o Idea da família Campos Moraes), que não conseguiu desviar de V1”.

publicidade

Tags:

publicidade