cidades df
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Mercado de Peixe oferece 2,5 toneladas de pescado aos consumidores

Agência Brasília

Publicação: 04/04/2012 18:36 Atualização:

Lançado em dezembro do ano passado pelo Governo do Distrito Federal para incentivar o consumo e produção local de pescado, o Mercado de Peixe de Brasília vai passar pela primeira Semana Santa de sua existência. Para fazer frente à demanda imposta pela tradição cristã, cerca de 2,5 toneladas de tilápia, pacucaranha, tambaqui e pintado estarão à disposição dos consumidores nesta quinta (4) e sexta-feira (5), das 7h às 17h, nas Centrais de Abastecimento do DF (Ceasa).

O diferencial do Mercado de Peixes de Brasília é que os peixes são mantidos vivos em tanques próprios, com filtros e renovação de água, e são processados no momento da compra. “Temos peixes da melhor qualidade, produzidos em Brazlândia ou Planaltina. A ideia é oferecer o peixe fresco como diferencial e, do ponto de vista econômico, melhorar a vida dos produtores e ampliar o segmento”, afirma o secretário de Agricultura do DF, Lúcio Valadão.

Até o começo da tarde desta quinta, cerca de uma tonelada de pescado já havia sido vendida. “É a primeira vez que passamos por uma Semana Santa, mas acreditamos que a quantidade que trouxemos vai ser suficiente. Se a procura for maior que nossas expectativas, poderemos encomendar mais junto aos nossos produtores familiares na noite de hoje”, afirma o responsável técnico pelo mercado, o veterinário da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF) Carlos Eduardo Silveira Goulart, 42 anos.

Ajudante no Mercado de Peixes, o pescador Abiezel Alves Cavalcante, 60, que trabalha com pescado há mais de 40 anos, explicou que a tilápia é o peixe mais procurado pelos consumidores. “Ela é a vedete, porque, além de ser muito saborosa, pode ser preparada de diversas formas e tem poucos espinhos, que são grandes e fáceis de retirar”, ensina.

A tilápia é um dos peixes com grande tradição de cultivo. Por isso, ela é uma espécie fácil de encontrar e com baixo preço: se a oferta do produto é grande, o preço cai em relação a outras espécies com menos tradição de cultivo e consumo, como o pintado, por exemplo.

A funcionária pública Rosângela Menezes dos Santos, 55, comprou vários quilos de tilápia e pintado no Mercado de Peixes nesta quarta. “Eu gosto da ideia de levar o peixe quase vivo. Não há coisa melhor que peixe bem fresco”, avalia. O conferente de cargas Leandro da Silva Figueiredo também comprou pescado para todo o final de semana. “Um peixinho na brasa com uma cervejinha é bom demais”, brinca.

Consumo no DF
O peixe tem se tornado um item alimentar cada vez mais presente no prato dos brasilienses. Entre 2007 e 2011, o consumo anual de pescado por habitante passou de 12,8kg para 14kg, bem mais do que a média nacional – que é de aproximadamente 9kg por pessoa. Diante da perspectiva de expansão do setor, o GDF vem promovendo ações para incentivar tanto a produção quanto a comercialização de peixes. São exemplos a criação de ponto comercial específico, o fornecimento de equipamentos para venda e conservação do produto e a realização de cursos de capacitação e treinamento para os piscicultores.

O Mercado de Peixe de Brasília foi criado graças à parceria entre a Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seagri) e o Ministério da Pesca e Aquicultura. Com isso, recebeu investimentos de cerca de R$ 1 milhão, que incluíram infraestrutura inovadora, aquisição de um caminhão frigorífico, instalação de fábrica de gelo e compra de equipamentos. Existem hoje, na região do DF e Entorno, cerca de 200 produtores familiares que atuam na piscicultura: são aproximadamente mil pessoas que vivem do peixe, comercializando a produção sem intermediadores.

Preços do Mercado de Peixe de Brasília

Tilápia: R$ 9,00/kg
Tilápia (filé): R$ 25,00/kg
Pintado: R$ 16,00/kg
Pintado (filé): R$ 30,00/kg
Pacucaranha e tambaqui: R$ 11,00/kg

Funcionamento: Nesta quinta (4) e sexta (5), das 7h às 17h, nas Centrais de Abastecimento do DF(Ceasa).

Tags: celular

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Virginia Mari Leitte
Com esses preços abusivos é melhor ficar no franguinho assado. Qual a justificativa para dobrar o preço do filé, é apenas um corte diferenciado e além disso o peixeiro fica com a pele e espinho o que é aproveitado para diversos fins. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE


  • Últimas notícias
  • Mais acessadas