Publicidade

Estado de Minas

Últimas vítimas de acidente com ônibus evangélico voltam para Brasília

Raimundo Ximenes chegou de helicóptero no Hospital de Base; outras duas mulheres devem chegar a Brasília na quinta-feira (18/7)


postado em 17/07/2013 18:27 / atualizado em 17/07/2013 21:18

Chegada de Raimundo Ximenes no Hospital de Base em Brasília(foto: Carlos Vieira/CB/DAPress )
Chegada de Raimundo Ximenes no Hospital de Base em Brasília (foto: Carlos Vieira/CB/DAPress )

 

As últimas três vitimas do acidente com ônibus que matou 11 evangélicos, na noite da última sexta-feira (12/7), chegam no DF nesta quarta-feira (17/7) e na quinta-feira (18/7). Raimundo Ximenes, 61 anos, que aguardava uma cirurgia na coluna, chegou em Brasília por volta 16h e foi levado para o Hospital de Base, onde será reavaliado.

Ele estava internado no Hospital Municipal de Governador Valadares e veio para Brasília em um helicóptero com UTI móvel do Corpo de Bombeiros.

Leia mais notícias em Cidades

As outras duas vítimas ainda internadas, Maria das Dores Granja, 52 anos, e Sebastiana Dantas da Silva, 57 anos, receberam alta médica e devem chegar em Brasília em um voo comercial na quinta-feira. A chegada delas estava programada para esta quarta-feira, mas um problema com a companhia áerea as impediu de voar. Maria das Dores teve o braço amputado e Sebastiana sofreu uma fratura no braço.

Relembre o caso

O grupo de fiéis saiu de Sobradinho para inaugurar um templo religioso da Assembleia de Deus, no município localizado no Vale do Mucuri. O ônibus que os levava não chegou ao destino. A menos de quatro horas da cidade mineira, na noite da última sexta-feira, um acidente terminou com os sonhos de 11 evangélicos.

Um problema nos freios pode ser a causa principal do acidente. O motorista teria perdido o controle e tombado após uma curva, na descida de uma serra. Testemunhas relataram que o coletivo apresentou problemas mecânicos durante a viagem. Toda a documentação do veículo estava em ordem.

Além de problemas mecânicos no sistema de freios e trecho perigoso na pista, o sobrepeso das bagagens é um fator a ser considerado para o tombamento do veículo, que levava 42 evangélicos — e mais dois motoristas. O grupo levava a bordo do coletivo doações para pessoas carentes da região — considerada uma das mais pobres do país. Entre os itens estavam roupas, brinquedos e calçados.

Na ocorrência policial obtida pelo Correio, testemunhas dão conta de que o coletivo chegou a ser parado em uma barreira policial ao longo da viagem e que, na ocasião, teria sido autuado por excesso de peso. A versão foi confirmada pelo condutor, identificado como Evilásio Silva Feitosa, 36 anos. No entanto, o papel com o auto de infração não foi encontrado pelas autoridades após a tragédia. No documento dos policiais, não consta o nome do órgão de trânsito que aplicou a punição.

 


Com informações de Mara Puljiz.

 

 



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade