#Somostodosmacacos reforça estereótipos, diz Secretário da Igualdade Racial

Para Viridiano Custódio, Neymar agiu de forma emocional ao criar campanha com termo rechaçado por movimento negro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/04/2014 14:00 / atualizado em 28/04/2014 14:59


A campanha #somostodosmacacos reforça estereótipo que o movimento negro brasileiro tenta combater há anos. A opinião é do titular da Secretaria Especial da Promoção da Igualdade Racial do DF (Sepir-DF), Viridiano Custódio. Depois que o jogador Daniel Alves comeu uma banana atirada por torcedores em campo na Espanha, a campanha ganhou a rede e ganhou adesão de celebridades.

Custódio considerou que ao criar a campanha nas redes sociais, o jogador Neymar agiu de forma emocional e impensada. O secretário reiterou que o movimento negro é contra esterótipos que associem figuras humanas a ancestrais biológicos primatas. "Mesmo sabendo que todos somos primatas, nós devemos pensar uma outra forma de combater o racismo sem reforçar esse estereótipo segundo o qual muitos negros são tratados como macacos", disse.

Leia mais notícias em Cidades
 
Racismo no Esporte
Para Custódio, o racismo no esporte revela o preconceito vivido pela sociedade de forma geral -a questão, histórica, remonta ao eurocentrismo e a dominação do continente africano. Segundo ele, o combate ao racismo passa pelas esferas da educação, políticas públicas e campanhas como "Copa sem racismo", lançado pelo Governo do DF em abril.