São Sebastião: filho mata pai e madrasta, joga corpos em cisterna, e foge

Fernando Alves da Silva teria assassinado as vítimas por causa de um relacionamento que mantinha com a nora da vítima

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/08/2015 18:32 / atualizado em 19/08/2015 19:14

Thiago Soares/CB/D.A Press

 
A Polícia Civil identificou o suspeito de matar pai e madrasta e jogar os corpos em uma cisterna de aproximadamente 20 metros, no Setor de Chácaras Morro da Cruz, em São Sebastião. Fernando Alves da Silva, 30 anos, é filho de Joaquim Alves da Silva, 60 anos, encontrado morto na noite de terça-feira (18/8) dentro do buraco. No mesmo local, os bombeiros retiraram o corpo de Maria Lucia Batista, 49 anos, na manhã de domingo (16/8).


O investigado é enteado da mulher. Segundo as investigações, ele teria assassinado o pai e madrasta na madrugada de sexta-feira (14/8) por causa de um relacionamento que mantinha com a nora de Maria Lúcia. A vítima não aceitava o envolvimento do casal porque Alessandra Teixeira, 28 anos, é mulher do filho de Maria Lúcia.

Depois do crime, Fernando e Alessandra fugiram juntos. A jovem levou junto a filha de 3 anos. A polícia suspeita que a criança seja filha de Fernando.

O titular da 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião), Érito Cunha, explicou que Maria Lúcia expulsou Fernando de casa recentemente por causa do envolvimento dele com Alessandra. Revoltado, então, ele matou o pai com um golpe de machado na cabeça e depois jogou o corpo na cisterna. Joaquim costumava buscar a mulher todos os dias no trabalho. “Maria Lucia  trabalhava a três quilômetros de casa, mas, neste dia, o marido não foi buscá-la e seu chefe a deixou em casa. Quando ela entrou na residência, Fernando foi para cima. A vítima tentou reagir, mas acabou amordaçada”, explicou.

Maria Lúcia também pode ter recebido um golpe na cabeça, mas a polícia não descarta a hipótese dela ter sido jogada ainda com vida dentro da cisterna. Investigadores querem saber se Maria Lúcia morreu afogada. Depois de matar o casal, Fernando vendeu parte dos móveis e eletrodomésticos por R$ 1 mil a uma pessoa da região, na tarde de sábado (15/8). No entanto, segundo o delegado, quem comprou os produtos não tem relação com o crime.

Além da menina de três anos, levada junto com o casal durante a fuga, Alessandra também é mãe de um menino de 8 anos. O mais velho foi deixado com a madrinha. 
 
PCDF/Divulgação
 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.