Época de estiagem prejudica o fornecimento de água no DF

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/09/2016 06:10

Ed Alves/CB/DA Press


As altas temperaturas não são os únicos transtornos causados pelo longo período de seca em 2016. Ontem, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) cortou o fornecimento de água em seis regiões administrativas: Jardim Botânico, São Sebastião, Brazlândia, Sobradinho, Sobradinho 2 e Planaltina, atingindo 132 mil pessoas. De acordo com o órgão, além do calor intenso, os baixos níveis dos reservatórios e o aumento do consumo justificaram a necessidade do corte. Apesar de classificada como emergencial, a medida foi tomada para evitar um desabastecimento maior. Porém, há possibilidade de que ela seja estendida.


A empresa divulgou nota, alertando para o corte e solicitando aos moradores das regiões afetadas que diminuam o consumo de água. Técnicos do governo monitoram o leito dos córregos diariamente para avaliar se a captação pode ser retomada. A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa) intensificou a fiscalização dos agricultores para garantir que eles não retirem água em quantidade maior do que a autorizada.


Em reunião com os produtores, ficou acordado que eles não irrigarão as lavouras entre as 11h30 e as 14h, período de maior evaporação. Além disso, eles se comprometeram a se revezar. Quem está na margem direita pega a água no período da manhã. Quem fica no esquerdo, usa à tarde, ou vice-versa. Espero que tenha água suficiente em casa até a hora de voltar”, relata a professora.


Chuvas

A assessoria de Comunicação da Caesb informou que todas as cidades afetadas devem ter a situação normalizada na manhã de hoje (leia Previsões de retorno). Acrescentou, no entanto, que não há como fazer previsões de novos cortes, pois o aumento no nível dos reservatórios depende do retorno das chuvas. A última precipitação de 2016 no DF foi em 24 de agosto. A expectativa é de que as chuvas voltem a partir da segunda quinzena de setembro. Ontem, a temperatura chegou aos 34ºC, pouco menor do que a de quarta-feira — 34,2ºC —, a maior registrada neste ano. Em outubro de 2015, os termômetros alcançaram 36,4 ºC, batendo o recorde histórico de 2008, quando atingiram 35,8ºC.A moradora de São Sebastião Cláudia Nunes, 45 anos, disse que sabia do corte da Caesb, no entanto, se surpreendeu. “Fui avisada por um grupo de WhatsApp. No meu trabalho, não faltou, porque temos caixa d’água, mas recebi mensagens de amigos dizendo que não tinham em casa. Essa é a primeira vez que vejo isso acontecer.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Jose
Jose - 16 de Setembro às 09:20
O que todo mundo sabe, menos os nossos administradores de plantão! Apesar dos baixos índices de chuva, não se explica, senão pelo crescimento populacional explosivo no DF e no Entorno e a completa falta de investimento em novos reservatórios, captação de água (Corumbá e outros), proteção das nascentes, limitação e administração do agronegócio! Um ex-governador de lotes colocou propagandas dizendo que teríamos água para 100 anos, lembram! Agora é fácil o governo atual chegar e dizer que a água acabou!!! Lamentável...
 
FERNANDO
FERNANDO - 16 de Setembro às 08:23
A seca chegou novamente como todos os anos, e como sempre nenhum projeto para minimizar o problema, Só desmatamento e construções, quando é que a população vai se conscientizar sobre a falta de água para io futuro. quando é que teremos projetos para captação de água e armazenamento e plantios de árvores e preservação das minas. havia em Brasilia uma quantidade incrível de minas todas soterradas pelas construções, agora está aí o problema. Será que algum dia teremos consciência que estamos acabando com os recursos híbridos em decorrência das construções e desmatamento ? acho bom acordarmos ou será tarde e o arrependimento de nada valerá.