SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Aumentam os latrocínios e crimes contra o patrimônio no Distrito Federal

Em 2015, foram sete roubos com morte entre julho e agosto. Já em 2016, o número dobrou para 14 no mesmo período

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/10/2016 12:02 / atualizado em 11/10/2016 17:32

O número de crimes contra o patrimônio mais que dobrou em setembro de 2016, em relação ao mesmo período do ano passado. No nono mês deste ano, a Polícia Civil registrou 5.070 ocorrências do tipo, contra 2.204 no ano passado. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social do Distrito federal (SSPDF). Técnicos da pasta se justificaram: Em setembro do ano passado, o atendimento nas delegacias estava interrompido devido à greve da corporação, impedindo a análise concreta do número, disseram.

Leia mais notícias em Cidades

Basicamente, a análise de 2015 contaria apenas com 10 dias de registros. Os dados foram divulgados em coletiva na manhã desta terça-feira (11/10). No total, 75,4% dos roubos cometidos foram contra pedestres, seguido por roubo a veículos, com 37,1%. De acordo com o levantamento, estes crimes ocorrem mais vezes entre segundas e quartas-feiras. As cidades onde mais foram registrados atos de violência são Ceilândia e Samambaia, seguidas por Taguatinga, Brasília, Planaltina, Santa Maria, São Sebastião e Estrutural.

Técnicos da SSPDF constataram que o índice de homicídio caiu em relação à 2015. Até setembro do ano passado, 443 pessoas haviam sido assassinadas. No mesmo período de 2016, este número caiu para 437. Entretanto, o índice de latrocínios também cresceu este ano. Em 2015, foram sete crimes desta natureza cometidos no período entre julho e agosto. Já em 2016, o número dobrou, subindo para 14 na mesma data.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade