SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Visitas a presos da Papuda são suspensas por causa da greve de agentes

As visitas acontecem às quartas e quintas-feiras das 9h às 15h. Em assembleia nesta segunda-feira (17/10) eles decidiram interromper as visitas aos detentos. A próxima reunião da categoria acontecerá daqui a uma semana, em 25 de outubro. Na ocasião, eles devem decidir os rumos do movimento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/10/2016 12:44 / atualizado em 18/10/2016 12:50

Isa Stacciarini

As visitas de familiares aos presos do Complexo Penitenciário da Papuda estão suspensas nesta quarta (18/10) e quinta-feira (19/10) por causa da greve dos agentes de atividades penitenciárias. Os servidores estão paralisados desde 10 de outubro e, na última assembleia nesta segunda-feira (17/10), eles decidiram interromper as visitas aos detentos que acontecem nos dois dias da semana das 9h às 15h. A próxima reunião da categoria acontecerá daqui a uma semana, em 25 de outubro. Na ocasião, eles devem decidir os rumos do movimento.

O presidente do Sindicato dos Agentes de Atividades Penitenciárias do DF (Sindpen-DF), Leandro Allan Vieira, informou que nos bastidores ventila-se a possibilidade de deslocarem policiais militares para garantir a visita dos presos. “A segurança de Brasília já não anda bem. Se tirarem mais 300 a 400 policiais militares das ruas para levar ao sistema penitenciário com o objetivo de garantir a visita dos antenados pode ocasionar no aumento da insegurança para a população do Distrito Federal”, alegou. 
 
 
A categoria reivindica a última parcela do reajuste salarial além da criação de uma comissão de processo disciplinar composta por agentes de atividades penitenciárias, pagamento insalubridade e a confecção de uma carteira de identidade funcional para os servidores. “O governo não tentou negociar com a gente. Estamos conversando, mas, a princípio, eles alegam que não tem jeito. Essas são pautas que tem como resolver”, afirmou. Hoje existem 1.280 agentes de atividades penitenciários no sistema. A categoria alega que são necessários, ainda, mais 1 mil servidores para cumprir o déficit de pessoal.
 
Em nota, a Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social confirmou as suspensões das visitas e alegou que a greve é considerada ilegal pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) sob pena de multa diária de R$ 100 mil caso os servidores não retornem às atividades. De acordo com a pasta, o Sindpen-DF foi intimado na segunda-feira (17/10).
 
 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Robes
Robes - 18 de Outubro às 23:38
Não deveria haver visita é de jeito nenhum. Essa tal ressocialização é uma piada, para fingir que há algum tipo de trabalho.
 
warley
warley - 18 de Outubro às 20:05
Movimento grevista legal, nossa justiça é comprada, toda greve ele julga ilegal, só no Brasil vemos esse tipo de decisão!!! governador do DF incompetente equipe fraca!!!! caloteiro.
 
santos
santos - 18 de Outubro às 17:42
coisa boa melhor noticia do dia, que dure 2 meses a greve e uma visita por mês tá de bom tamanho pra esse bando de vagabundos, tinha que tirar era todas regalias que eles tem, colocar pra trabalhar pra se sustentar na cadeia, visita pra que mesmo se queria estar com suas famílias não aprontasse , dão é vida boa pra eles.
 
henrique
henrique - 18 de Outubro às 14:02
Olha o mutim ai geeeennnte!

publicidade