Publicidade

Estado de Minas

Visitas a presos da Papuda são suspensas por causa da greve de agentes

As visitas acontecem às quartas e quintas-feiras das 9h às 15h. Em assembleia nesta segunda-feira (17/10) eles decidiram interromper as visitas aos detentos. A próxima reunião da categoria acontecerá daqui a uma semana, em 25 de outubro. Na ocasião, eles devem decidir os rumos do movimento


postado em 18/10/2016 12:44 / atualizado em 18/10/2016 12:50

As visitas de familiares aos presos do Complexo Penitenciário da Papuda estão suspensas nesta quarta (18/10) e quinta-feira (19/10) por causa da greve dos agentes de atividades penitenciárias. Os servidores estão paralisados desde 10 de outubro e, na última assembleia nesta segunda-feira (17/10), eles decidiram interromper as visitas aos detentos que acontecem nos dois dias da semana das 9h às 15h. A próxima reunião da categoria acontecerá daqui a uma semana, em 25 de outubro. Na ocasião, eles devem decidir os rumos do movimento.

O presidente do Sindicato dos Agentes de Atividades Penitenciárias do DF (Sindpen-DF), Leandro Allan Vieira, informou que nos bastidores ventila-se a possibilidade de deslocarem policiais militares para garantir a visita dos presos. “A segurança de Brasília já não anda bem. Se tirarem mais 300 a 400 policiais militares das ruas para levar ao sistema penitenciário com o objetivo de garantir a visita dos antenados pode ocasionar no aumento da insegurança para a população do Distrito Federal”, alegou. 
 
 
A categoria reivindica a última parcela do reajuste salarial além da criação de uma comissão de processo disciplinar composta por agentes de atividades penitenciárias, pagamento insalubridade e a confecção de uma carteira de identidade funcional para os servidores. “O governo não tentou negociar com a gente. Estamos conversando, mas, a princípio, eles alegam que não tem jeito. Essas são pautas que tem como resolver”, afirmou. Hoje existem 1.280 agentes de atividades penitenciários no sistema. A categoria alega que são necessários, ainda, mais 1 mil servidores para cumprir o déficit de pessoal.
 
Em nota, a Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social confirmou as suspensões das visitas e alegou que a greve é considerada ilegal pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) sob pena de multa diária de R$ 100 mil caso os servidores não retornem às atividades. De acordo com a pasta, o Sindpen-DF foi intimado na segunda-feira (17/10).
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade