SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Policial de folga se fere ao reagir em assalto em Ceilândia

Trio monitorou a loja durante uma semana antes da tentativa de roubo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

Divulgação/PMDF


Na tarde desta quinta-feira (20/10), o policial militar, Adriana Sousa Dantas, estava de folga em uma famosa rede de calçados, no Setor O, em Ceilândia, e foi rendido por bandidos. O trio colocou um revólver na cabeça do militar que reagiu e entrou em luta corporal e acabou se ferindo ao bater a cabeça na vitrine da loja. A ocorrência foi por volta de 15h30, o PM é do 10º Batalhão de Polícia Militar.

De acordo com a corporação, uma viatura fazia a ronda na região e foi acionada por populares. Ao se dirigirem ao local, encontraram o colega sangrando. Adriano avisou do assalto que estava ocorrendo e que um dos suspeitos estaria escondido no depósito. As demais vítimas foram amarradas.

A Polícia prendeu o primeiro homem no deposito e os demais em um carro que seria utilizado para fuga. Com eles estava um revólver e quatro munições. A PM informou, ainda, que os três são de Águas Lindas e confessaram ter monitorado o local, durante uma semana, para conhecer a rotina.

Os autores possuem várias passagens pela polícia por homicídio, tentativa de homicídio, roubo e tráfico. O caso foi registrado na 24ª DP.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Aislan
Aislan - 21 de Outubro às 08:35
Como sempre em notícias de crimes: "os autores tem várias passagens pela polícia..." e porque não foram presos na primeira passagem? Até homicídio cometeram. Estão nas ruas fazendo a mesma coisa. Se a justiça mantesse bandidos na cadeia, a violência não estaria aumentando como está. Somando os que iniciam na vida do crime com os que já existem e não ficam presos, o resultado é esse que estamos vivendo no país, aumento descontrolado dos crimes. Até quando vamos esperar para que as leis sejam mais duras ou pelo menos cumpridas neste país?

publicidade