SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Jovem supostamente espancando por PMs morre no Hospital de Base

Thiago Henrique Moura Soares, 22 anos, estava internado desde o último dia 13, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da unidade de saúde

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/10/2016 12:04 / atualizado em 27/10/2016 12:31

Correio Braziliense

O rapaz supostamente espancado por policiais militares no Parque da Cidade, no último dia 12, morreu na madrugada desta quinta-feira (27/10) no Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF). Thiago Henrique Moura Soares, 22 anos, foi internado na unidade de saúde, em estado grave, com traumatismo craniano, infecção e falência renal, após uma abordagem policial. Ele havia saído de uma festa por volta das 21h, na companhia de um amigo, quando foi parado por um grupo de PMs, que fazia a ronda na região.

Leia mais notícias em Cidades
 
Segundo os militares, uma pessoa havia informado que os dois jovens estariam dentro de um bueiro, roubando cabos de cobre. Elaine Moura Carvalho, mãe do rapaz, nega o fato e cobra justiça. "Eu quero justiça e vou fazer isso por todas as mães que não têm condições disso, por conta de falta de apoio familiar ou financeiro. Eu sei que vários filhos morrem por conta da abordagem policial violenta e que ninguém fica sabendo. Mas eu vou lutar até o fim", disse Elaine, em entrevista ao Correio, no último dia 15.

Nas redes sociais, tanto no perfil de Elaine quanto no de Thiago, amigos e familiares lamentam a morte do jovem. “Thiago, vai em paz, irmão. Que você esteja num lugar bem melhor do que neste mundo de vermes. Agora que a justiça seja feita. Que Deus ilumine seus passos daqui pra frente”, disse um dos amigos da vítima. “Hoje acordei com uma notícia revoltante. Estou até agora sem acreditar como pessoas que exercem um cargo que seria de proteção podem fazer essa crueldade. Que a justiça seja feita. Descanse em paz, Thiago”, disse outro colega do rapaz. 

Reprodução/ Facebook
A versão da Polícia Militar do Distrito Federal é outra. Segundo a PMDF, Thiago dificultou a abordagem e chegou a tentar pegar a arma de um dos policiais que atendia a ocorrência. Para contê-lo, os demais militares tiveram de usaram da força física e spray de gás lacrimogênio. De acordo com a corporação, imobilizado, Thiago teria começado a se debater no chão, causando ferimentos a si próprio, na cabeça e nos joelhos.
 
Em nota enviada nesta quinta-feira, a Polícia Militar lamentou o falecimento de Thiago Henrique Moura Soares. "Precisamos, agora, aguardar o resultado de perícia que identifique a causa mortis do jovem para que seja anexado ao processo investigativo", cita o texto. Ainda segundo a corporação, foi instaurado, inclusive por solicitação dos próprios policiais, uma sindicância com o objetivo de esclarecer os fatos. "Os policiais continuam exercendo suas atividades. Qualquer punição só poderá ser aplicada após o término das investigações, e em caso de comprovado erro na ação policial". A Polícia Civil também investiga os fatos.
 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
jorge
jorge - 28 de Outubro às 16:13
Nesse Episodio dessa ação dessa Equipe da Polícia Militar, foi exatamente correta com força moderada para conter uma pessoa totalmente com efeito de drogas entorpecentes e transtornado. Agora Culpar essa equipe da PM, não é justo é inadimissivel.

publicidade