SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Batida na Ponte JK termina em capotagem e interdita duas das três faixas

Entre as pessoas encaminhadas ao hospital estava um bebê de 11 meses que apresentou suspeita de traumatismo craniano, mas foi socorrido em estado estável ao hospital. Por causa do socorro, duas das três faixas precisaram ser interditadas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/10/2016 10:15 / atualizado em 30/10/2016 12:23

Corpo de Bombeiros/Divulgação
 
 
Um acidente na manhã deste domingo (30/10) na Ponte JK terminou em capotagem. A batida entre um Toyota Corolla e um Fiat Siena aconteceu por volta das 8h. A motorista do primeiro veículo, Patrícia Mayumi, 25 anos, foi socorrida consciente, orientada e com dores no tórax. Militares do Corpo de Bombeiros conduziram a paciente ao Hospital de Base do DF (HBDF). O filho dela, passageiro do carro, foi atendido e transportado por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Não há informação sobre a condição de saúde do menino.


No Fiat Siena um bebê de 11 meses apresentou suspeita de traumatismo craniano, mas foi socorrido em estado estável ao hospital. A mãe da criança, Maria Vânia, não precisou de atendimento, mas acompanhou o filho no transporte à unidade de saúde.
 
 

Por causa do acidente os bombeiros interditaram duas das três vias. O trânsito ficou congestionado, mas equipes da Polícia Militar controlaram o fluxo de veículos.
 
 
 
Com informações do Corpo de Bombeiros 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Júlio
Júlio - 30 de Outubro às 14:23
Parece que não bastam os memoráveis acidentes na ponte JK. Passo lá com frequência e canso de ver energúmenos e energúmenas costurando o trânsito e em velocidade bem acima do permitido. Com frequência tem acidente na ponte JK, mas os estúpidos dentro de seus cubículos de quatro rodas desafiam ainda mais a estupidez. Moral da história: um bebê de 11 meses foi vítima de alguém que errou feio. Pior, esse "alguém" pode pagar a vida desse bebê com cestas básicas. País atrasado e que beneficia os errados é assim.

publicidade