SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Após decisão da Justiça, presidiários são transferidos para a Papuda

No fim da tarde, a Polícia Civil conseguiu transferir os 96 presidiários que estavam na Carceragem da corporação para o Complexo Penitenciário do DF

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/11/2016 18:12 / atualizado em 01/11/2016 19:31

Isa Stacciarini , Priscila Botelho - Especial para o Correio , Thiago Soares

Minervino Júnior/ CB/ D.A Press

Depois de uma manhã de tensão envolvendo a recusa de presos transferidos da carceragem da Polícia Especilizada (DPE) para o Complexo da Papuda, a Justiça determinou que os agentes de atividades penitenciarias recebessem os homens detidos temporariamente. A Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça ressaltou que a última decisão proferida na última quinta-feira (27/10) é estendida para demais datas até o fim da greve. Desta forma, o não recebimento dos presos seria considerado como um descumprimento de ordem por parte da categoria.


Leia mais notícias em Cidades

A decisão emitida no fim desta tarde é da juíza da Vara de Execuções penais, Leila Cury. A Polícia Civil confirmou que 98 homens já estão nas dependências da Papuda. O bonde acontece toda terça e sexta-feira. O episódio desta terça-feira escancarou a grave crise instiutucional na segurança pública do Distrito Federal. 


Pela manhã, os servidores fizeram um bloqueio em frente ao acesso principal do presídio e proibiram a passagem do "bonde" — como é conhecido o comboio de transferência de detentos. Eles afirmaram que a entrada somente seria permitida com ordem judicial. Ao todo, 50 agentes de atividades penitenciárias participaram do bloqueio em frente à Papuda. Na semana passada eles decidiram pela continuidade da greve que começou em 10 de outubro. A categoria reivindica o pagamento da última parcela do reajuste salarial. A Justiça considerou a greve ilegal.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade