SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Policiais civis anunciam nova paralisação de 48 horas a partir de quinta

A categoria decidiu paralisar as atividades a partir da próxima quinta-feira (3/11)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/11/2016 21:18 / atualizado em 01/11/2016 21:38

Jhonatan Vieira/ Esp. CB/D.A Press

Policiais civis decidiram em uma assembleia extraordinária na tarde desta terça-feira (1/11), por paralisarem novamente as atividades nas delegacias do Distrito Federal pelo prazo de 48 horas. A categoria irá cruzar os braços às 8h desta quinta-feira (3/11) e só serão registrados os casos de flagrantes de crimes violentos, como homícidios. Essa é mais uma das ações da classe que reivindica a isonomia salarial com a Polícia Federal, que teve aumento de 37% em três parcelas proposto pelo Executivo federal.

Leia mais notícias em Cidades

Além da paralisação que se encerra às 8h do próximo sábado (5/11), os policiais também decidiram na assembleia convocada pelo sindicato dos Policiais Civis (Sinpol-DF) por manter a operação PCDF Legal, assim também como reiterar os pedido de exonerações dos cargos entregues pelos policiais civis há pelo menos três meses, quando se iniciou o movimento da categoria. A classe também pretende fazer ações junto aos deputados distritais, para que haja alteração na Lei Orçamentária local para inserir a previsão para a recomposição salarial dos policiais civis.

A situação se estende desde os jogos Olímpicos, quando os policiais manifestaram na frente do Estádio Nacional. A partir daí, o Governo do Distrito Federal entregou aos representantes dos sindicatos da categoria quatro propostas. Porém, em razão da divergência com a exigência da PCDF, todas foram negadas em assembleias. Desde então, paralisações vêm sendo realizadas pela classe. 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
João
João - 03 de Novembro às 06:07
Se houver alteração na Lei Orçamentária Anual-LOA, para garantir aumento salarial para a polícia civil, privilegiando a categoria que tem os mais altos salários entre os servidores do GDF, aí a coisa vai ficar feia, por que todos nós servidores de outras categorias também vamos querer ser agraciados com esse privilégio, ou então greve geral. Já passou da hora de uma revisão geral nos salários dos servidores do GDF no sentindo de se buscar uma isonomia salarial; tem que se estabelecer apenas três níveis salariais: níveis inferior, médio e superior para o piso salarial geral, de acordo com o nível de escolaridade exigido para o cargo, resguardadas as gratificações individuais inerentes às peculiaridades de cada categoria salararial. Isto sim seria uma justa isonomia salarial entre todos os servidores do GDF. Em tempo, auxílio moradia, auxilio alimentação e auxílio saúde, tem que ser igual para todos, pois todos prestam serviço para toda a população de Brasília e recebem da mesma fonte pagadora.

publicidade