SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

PM troca tiros duas vezes em menos de 12 horas com quadrilha em Brazlândia

A quadrilha é formada por quatro irmãos e agia nas proximidades de Brazlândia com violência. Eles conseguiram escapar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/11/2016 11:37 / atualizado em 02/11/2016 12:27

Uma quadrilha que aterrorizava moradores do Assentamento Betinho, perto de Brazlândia, trocou tiros com a Polícia Militar duas vezes entre a noite de terça-feira (1º/11) e manhã desta quarta-feira (2/11). O grupo, formado por quatro irmãos, está foragido.

 

Leia mais notícias em Cidades

 

No meio do mato e numa casa usada como esconderijo, a PM recuperou uma grande quantidade de produtos roubados. Entre os itens estão quatro motos, bombas d´água, geradores, bolsas, documentos pessoais, roupas de grife e celulares.

 

De acordo com o major Cláudio Santos, na noite de terça-feira (1º/11) eles conseguiram localizar dois dos quatro irmãos. Houve troca de tiros e eles foram detidos e levados para a delegacia. Como não houve flagrante de crime, foram liberados.

 

Na manhã desta quarta-feira, a PM voltou ao local e foi recebida com tiros. "Eles estavam no meio do mato tentando levar os produtos de roubo. Revidamos ao ataque, mas eles conseguiram fugir. Não sabemos se eles ficaram feridos", relata.

 

Um morador da região teria sido expulso da própria casa pelo bando, que agia com violência. Nos crimes, eles usavam uma espingarda calibre .12. "Chegamos até eles porque estávamos monitorando o grupo para descobrir o esconderijo. Ontem a noite, trocamos tiros com dois deles", conta. De acordo com o major Cláudio Santos, o grupo tinha um colete balístico artesanal, feito com placa de aço, capaz de resistir a tiros de pistola .40. 

 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
LUIZ
LUIZ - 02 de Novembro às 18:11
Com as novas leis para afrouxar o flagrante, um dos legados de Dilma, bandidos que poderiam estar detidos para a segurança do cidadão de bem apenas assinam o termo circunstanciado e continuam soltos para cometerem mais crimes contra a sociedade, fora os vários benefícios para criminosos que incentivam a impunidade geral, como progressão de pena, saidões, auxílio-reclusão e até o dia do presidiário!

publicidade