No Novembro Azul, monumentos da capital aderem à cor pelo combate ao câncer

A coloração é alusão à campanha de conscientização do câncer de próstata, que mata 138 brasilienses por ano e mais de 13 mil homens no Brasil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/11/2016 23:41 / atualizado em 08/11/2016 23:49

Ed Alves/CB/D.A. Press
 
Os monumentos e prédios oficiais de Brasília deixaram de lado a cor rosa, voltada à campanha de conscientização do câncer de mama, e agora estão iluminados de azul. O tom faz parte da campanha Novembro Azul, que visa informar a população sobre a prevenção e o tratamento do câncer de próstata. Prédios como o do Congresso Nacional e do Tribunal de Contas da União (TCU) aderiram à nova coloração. 
 
 
Na capital, 58 a cada 100 mil homens têm a doença. No Brasil, a relação é de 70 por 100 mil. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), em 2015, 138 brasilienses morreram vítimas desse tipo do mal. Em todo o país, foram 13.772. Por ano, são regustrados até 780 novos casos no DF. 

O Novembro Azul é inspirado em um movimento que surgiu na Austrália, em 2003, o "Movember", pautado pelo Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, em 17 de novembro. O objetivo da campanha é quebrar preconceitos e informar que homens devem ir ao médico e fazer o exame de toque.
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.