SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Corpo de estudante da UnB é encontrado em mirante da Chapada dos Guimarães

Em sua última postagem no facebook, Ariadne Wojcik reclamava de problemas em seu ex-local de trabalho. Em tom de despedida, ela pedia que fosse feita justiça

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/11/2016 18:20 / atualizado em 10/11/2016 11:10

Gabriela Vinhal , Alessandra Modzeleski - Especial para o Correio

Reprodução Facebook
O corpo de uma jovem recém formada em direito pela Universidade de Brasília (UnB) foi encontrado na tarde desta quarta-feira (9/11), na região do mirante da Chapada dos Guimarães, próximo a Cuiabá, no Mato Grosso. Ariadne Wojcik, de 25 anos, estava morando na capital matogrossense e iria tomar posse no Tribunal de Justiça do estado na quinta-feira (10/11). A advogada acusa um professor da universidade, que também é procurador do Distrito Federal, de assédio. Ele nega.

 

Nesta manhã, a jovem divulgou no Facebook, em tom de despedida, uma carta de desabafo sobre ter sido assediada no último ano, em seu antigo local de trabalho, em Brasília. "Peço, por favor, façam alguma coisa, ele não vai se arrepender, ele não vai parar. Alguém faça alguma coisa! Pra mim é tarde...", escreveu.

 

Rafael dos Santos, acusado de assediar a ex-estudante de direito, negou as acusações. Segundo ele, amigos da moça afirmavam que ela enfrentava problemas psiquiátricos. Ao ser questionado sobre ter um relacionamento extra-conjugal com a jovem, o professor disse que não gostaria de falar sobre o assunto.

 

 

O Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar do Mato Grosso encontraram a bolsa e o par de sapatos da garota nas pedras do mirante, logo no início das buscas. A família de Brasília acionou a PM às 11h. No entanto, como estava chovendo, só conseguiram retirar o corpo do penhasco às 17h. O corpo está no Instituto de Medicina Legal (IML) para a perícia e deve ser liberado até quint-feira.

 

A reportagem entrou em contato com a família da jovem, mas até a publicação desta reportagem ainda não havia recebido resposta. No Facebook, contudo, a mãe de Ariadne, Marlova Schmaedecke, desabafou: "luto". O pai, Ramiro Hofmeister Martins-Costa, escreveu "dor". Ambos os posts foram seguidos de várias mensagens de solidariedade à família. Nos comentários da publicação, a mãe da jovem confirmou que estava indo a Cuiabá, porque o corpo ainda não havia sido liberado. Ainda não há informações sobre o velório.

 

Nas redes sociais, usuários e amigos de Ariadne lamentam sua morte e pedem que outras pessoas mandem boas energias à família da garota.

 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Marcus
Marcus - 10 de Novembro às 05:51
Possibilidade de caso extra-conjugal? Sim. Infelizmente, uma mulher com claros sintomas psiquiatricos com nítida mania de perseguição? Sem nenhuma dúvida. Meus pêsames.
 
Vaneide
Vaneide - 09 de Novembro às 23:16
Estou chocada

publicidade