Carros de senadores atropelam jovem que protestava em frente ao Alvorada

Segundo a ocorrência, o jovem de 25 anos foi atingido quando o primeiro carro tentou furar o bloqueio. Depois, um segundo carro também atropelou a vítima

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/11/2016 11:31 / atualizado em 17/11/2016 15:50

Divulgação
 
Durante um protesto em frente ao Palácio da Alvorada, na noite desta quarta-feira (16/11), um jovem ficou ferido. De acordo com o boletim de ocorrência registrado na 5ª Delegacia de Polícia (Setor Central), a vítima foi atingida duas vezes por dois carros oficiais do Senado Federal. O protesto era contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55, que limita os gastos públicos pelos próximos 20 anos. 
 
No entanto, a Divisão de Comunicação da Polícia Civil (Divicom) não informou quem estava nos veículos. Segundo a ocorrência, o jovem de 25 anos foi atingido quando o primeiro carro tentou furar o bloqueio . Para não se machucar, ele se jogou no capô do carro e se segurou para não cair. O automóvel parou e a vítima desceu. Nesse momento, seguranças do Palácio da Alvorada jogaram spray de pimenta nos manifestantes. 
 
Logo após o fato, outro carro do Senado também tentou furar o bloqueio e, pela segunda vez, o mesmo jovem foi atingido.  Assim que se afastou do veículo, os seguranças do local o atingiram com cassetetes. A vítima tentou se defender com o braço que ficou machucado devido aos golpes.

A vítima foi encaminhada ao Instituto de Medicina Legal (IML) da Polícia Civil para exames de corpo de delito. O laudo pode ficar pronto em, até, 30 dias. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
JOEL
JOEL - 18 de Novembro às 10:02
Também sou contra essa PEC, que joga a conta dos erros que levaram o país a essa situação, exatamente em quem não tem culpa, e deixa de fora os responsáveis, que são eles mesmos, os políticos. Contudo, este jovem é da mesma espécie que deixou de protestar durante 13 anos de exponencial aprimoramento da corrupção no Brasil. Logo, é apenas um sujeito de ética seletiva. Não merece condolências.