SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Nível do Descoberto aumenta e especialistas apostam na chuva para melhora

Nesta terça-feira (22/11) o índice do Rio Descoberto passou de 20,07% para 20,25%. Já o percentual da barragem de Santa Maria permaneceu em 40,96%. Caesb aposta nas chuvas e redução do consumo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/11/2016 11:02

Breno Fortes/CB/D.A Press
 
Em um dia o nível do principal reservatório do Distrito Federal apresentou pequena elevação. Passou de 20,07% nesta segunda-feira (21/11) para 20,25% na medição realizada na manhã desta terça-feira (22/11). Já o índice da barragem de Santa Maria permaneceu em 40,96%. O motivo para a melhora, segundo especialistas, é por causa das chuvas que devem amenizar a crise hídrica que assola o Distrito Federal.  
 
A Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) tem apostado nas chuvas e na redução do consumo para reverter o cenário. Para diminuir o gasto de água, regiões que são abastecidas pelo Rio Descoberto terão a pressão da rede diminuída a partir desta quarta-feira (23/11).
 

A medida vai começar por Ceilândia e será estendida em um cronograma até 14 de dezembro. Ao todo, 15 localidades serão afetadas: Vicente Pires, Samambaia, Colônia Agrícola Samambaia, Riacho Fundo I e II, Recanto das Emas, Gama, Santa Maria, Águas Claras, Arniqueiras, Taguatinga, Park Way, Candangolândia e Núcleo Bandeirante. A expectativa é que haja uma redução entre 5% e 10% no consumo da região.
 
Segundo o presidente da Caesb, Maurício Luduvice, técnicos também têm substituído redes antigas de distribuição de água que apresentavam vazamentos, como nas quadras 410 e 411 Norte, além da QL 14 do Lago Sul. 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Washington
Washington - 25 de Novembro às 18:37
Uma solução a curtíssimo prazo é o incentivo à coleta de água da chuva, que, apesar de não ajudar no período da seca, permite que os reservatórios se recomponham mais rapidamente. Um bom incentivo, neste caso, seria o fim da funesta taxa mínima.

publicidade