SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Motoristas de escolares param e cerca de 50 mil alunos ficam sem transporte

A categoria pede o pagamento da dívida de R$ 40 milhões de reais acumulada desde 2014. As frotas contam com cerca de 600 ônibus

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/12/2016 15:01 / atualizado em 01/12/2016 15:18

Ana Rayssa/Esp.CB/D.A Press
 
Na manhã desta quinta-feira (1º/12), cerca de 11 empresas de transporte escolar que atendem todas as regiões administrativas do Distrito Federal cruzaram os braços. A categoria pede o pagamento da dívida de R$ 40 milhões de reais acumulada desde 2014. 
 
 
As frotas somam cerca de 600 ônibus e atendem aproximadamente 50 mil alunos todos os dias no DF. No primeiro dia da greve, apenas as empresas que atendem Núcleo Bandeirante e Itapuã continuaram operando, mas com 50% da frota. A expectativa é que nos próximos dias elas também paralisem os serviços. 

De acordo com a Associação das Empresas de Transportes Escolares de Brasília, essa é a segunda paralisação acatada por todas as empresas apenas neste ano. Mas já houve interrupções dos serviços pontuais em São Sebastião e Sobradinho, por exemplo.

O Correio procurou a Secretaria de Educação, mas, até a última atualização desta reportagem, a pasta não tinha se posicionado.

Histórico 

Há menos de um mês, em 8 de novemnbro, a categoria reuniu cerca de 600 funcionários em frente à Câmara Legislativa do Distrito Federal, pressionando o governo a tomar providências com relação ao pagamento da dívida.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade