SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Brasilienses organizam mutirão para limpar pichações no Museu Nacional

João Amador e Daniel Zukko, criaram um evento no Facebook para convocar as pessoas para participar de um mutirão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/12/2016 23:17 / atualizado em 01/12/2016 23:45

Alessandra Modzeleski - Especial para o Correio

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press


Incomodados com as pichações no Museu Nacional Honestino Guimarães, os brasilienses João Amador e Daniel Zukko, criaram um evento no Facebook para convocar as pessoas para participar de um mutirão. No evento “Queremos o Museu Limpo Limpo Novamente”, a dupla pede que os voluntários levem tinta branca, pincel e “muita disposição”. O encontro será neste sábado (3), às 16h. O monumento foi pichado na última terça-feira (29), durante protesto na Esplanada dos Ministérios. Na ocasião, outros prédios públicos, placas e carros particulares foram depredados.

Donos das páginas História de Brasília e Minha Brasília, os dois estão acostumados a falar da cidade. “Esse ato afetou muitas pessoas emocionalmente, porque viram os locais depredados e isso foi injustificado e triste”, defendeu João Amador, 38 anos. A dupla já pintou uma parte do espaço na quarta-feira (30/11), à noite. Na manhã desta quinta, outro grupo de amigos também se mobilizou para limpar o monumento. “Nós combinamos de reunir todo o pessoal, da turma dele e da nossa e criar o evento”, explica João. 

A medida de limpar o espaço é controversa. “Alguns não concordam. Acham que o Museu fica melhor pichado, o que eu acho um absurdo. Se fosse um espaço de livre expressão, como um muro, ok. Mas é um museu e não foi feito para que as pessoas coloquem suas opiniões ali, na parede”, opinou. 

O mutirão foi autorizado pelo diretor do Museu, Wagner Barja. A ideia do grupo é conseguir, ainda, permissão para pintar partes da Catedral que também foram rabiscadas.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade