SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Barragem do Descoberto registra menor nível da história, com 19,2%

O nível é considerado crítico e já permite adoção de medidas de racionamento como interrupção no abastecimento em alguns períodos do dia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/01/2017 17:02 / atualizado em 11/01/2017 17:30

Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press

A Barragem do Descoberto, reservatório responsável pela maior parte do abastecimento do Distrito Federal, atingiu o menor nível já registrado na história. A medição atingiu 19,2%. Antes, o menor índice marcado era de 19,3%, em novembro do ano passado.

 

Leia mais notícias em Cidades 

 

O menor índice histórico foi medido às 13h30 desta quarta-feira (11/1). Mais cedo, às 7h30, o valor registrado já tinha igualado a pior marca da história, com 19,3%. O reservatório de Santa Maria, que também abastece o DF, está em condições melhor, mas ainda abaixo do nível desejado, que seria de 60%. Hoje, o reservatório marcou o nível 41,1%.

 

Racionamento 

A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa) já autorizou o uso de medidas de racionamento para conter a pior crise hídrica da história do DF, no entanto, a Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) ainda não colocou em prática a principal delas: o racionamento.

 

Até o momento, a companhia adotou apenas a diminuição da pressão da água nas torneiras em algumas regiões administrativas e institui taxa extra para consumidores que usarem mais de 10 mil m³ de água por residência.

 

Em dezembro de 2016, o Correio publicou série de reportagens especiais que detalhou a situação crise hídricapela qual passa o cerrado brasileiro, do abastecimento urbano à irrigação para a agricultura. As matérias mostram que diversas medidas, como a construção de novas barragens e a captação de água do Lago Paranoá seguem incompletas.

 

 

 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
FERNANDO
FERNANDO - 12 de Janeiro às 08:23
O problema de água já é sabido em trono de dez anos ou mais, porque nossos administradores deixam chegar aos níveis críticos para começar a tomar providencia? quando vamos mudar essa cultura. E o pior onde esta indo a água do correjo Guará, Vicente Pires? Porque não aproveita a água do Lago,? Aqui tudo é muito demorado, estão precisando aprender cultura com os japoneses.E o Corumba 3 e 4? Ninguem é responsabilizado. quanta incompetência. Publiquem.
 
Antonio
Antonio - 11 de Janeiro às 21:47
Já deveriam fazer racionamento, iram esperar a barragem secar de vez?
 
deusdede
deusdede - 11 de Janeiro às 18:36
Nunca fizeram nada paras proteger os mananciais, criaram um emprego a parente, seus diretores estão trabalhando tanto que não tem tempo de se higienizar. Tenho feito a minha parte, coleto toda água da chuva, as águas da máquina de lavar roupa são aproveitadas. Agora acabo de receber um bônus de 40% de tarifa de contingência. É uma bricanagem.

publicidade