Bloco Me engole que eu sou jiló anima o pré-carnaval nesta segunda-feira

Organizadores esperam cerca de mil participantes no bloco, que planeja desfilar próximo à 201 Norte, chegando até o Eixinho

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/02/2017 20:03 / atualizado em 20/02/2017 23:03

Minervino Júnior/CB/D.A. Press
 
Nesta segunda-feira (20/2), o pré-carnaval na capital continua. Dessa vez, com o bloco Me engole que eu sou jiló, na Praça dos Prazeres, na 201 Norte. O grupo planeja sair do espaço às 21h e desfilar pela tesourinha e pelo Eixinho. A festa deve terminar à meia-noite, no gramado do Eixinho. A estimativa dos organizadores é de que mil pessoas participem da folia.

Saindo pela terceira vez no carnaval brasiliense, o tema do bloco neste ano é "Utopia dos Confetes: carnaval é meu poder!". Segundo um dos organizadores do bloco, a marchinha retrata a "saga do jiló por Brasília, procurando uma casa depois do fechamento do Balaio".
 
 
Com nome artístico, Flexinha D'Aruanda, 30 anos, conta que o bloco teve origem em um cineclube de documentário que acontecia no Balaio todas as segundas-feiras. A dona do estabelecimento decidiu fechar o bar em 2015 depois de sucessivas interdições e multas por reclamações de moradores sobre barulho. O empresário relembra que, em 2016, o tema do bloco foi a "Lady silêncio", em referência à Lei do Silêncio. 
 
Pedro Santos, 29 anos, é outro organizador do bloco e veio fantasiado de entregador de notícias do futuro e destaca o cunho político do jiló. "Se eu pudesse dar uma notícia futura, seria o impeachment do Temer", destaca. O nome artístico do consultor no bloco é Pedrinho de Todos os Santos. O Cineclube Jiló na Guela fez uma pausa carnavalesca e voltará em março, toda segunda-feira no Bar do Pardim, localizado na 405 Norte.
 
 
 
Um grupo de participantes levou a sério a origem do bloco e foi pronto para gravar um filme. Fantasiados de atrizes, atores, com claquete e cadeira de direção, os amigos pretendem filmar o "Da minha moqueca não comerás". Fantasiada de diretora, Paty Copulla, 33 anos, contou que a brincadeira é tradição. "Desde o ano passado estamos tentando filmar, mas não conseguimos. Este ano os figurantes estão mais animados", brincou. 
 
Minervino Júnior/CB/D.A. Press
 
 
A diva do pop Beyoncé também participou da festa. Em homenagem às fotos da cantora, divulgadas recentemente, Guilherme Dourado, 25 anos, fez sucesso "grávido" de gêmeos. "Sempre tento inovar nas fantasias. Eu adoro a Beyoncé e hoje todos querem tirar fotos comigo", destacou. 
 
Minervino Júnior/CB/D.A. Press
 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.