SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Igrejas do DF encenam a via-sacra nesta Sexta-feira da Paixão; programe-se

Morro da Capelinha, em Planaltina, promete reunir 100 mil pessoas a partir das 16h

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/04/2017 06:00

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press - 3/4/15
 
Ao menos 35 igrejas do Distrito Federal encenam a via-sacra hoje. A principal delas deve levar cerca de 100 mil pessoas ao Morro da Capelinha, em Planaltina. Atores amadores começam o trabalho às 16h. O momento alto, o da ressurreição de Jesus Cristo, deve acontecer quatro horas depois, já à noite, em meio a efeitos visuais, com luzes e fogos.


Leia mais notícias em Cidades

Assim como em Planaltina, ontem foi dia dos últimos preparativos para a Sexta-feira da Paixão nas demais localidades do DF que celebrarão uma das datas mais importantes do calendário católico. Na Catedral Militar Rainha da Paz, que fica no canteiro central do Eixo Monumental, entre o Sudoeste e o Setor Militar Urbano, além de reviver os últimos momentos de Cristo, fiéis oferecerão um almoço gratuito a moradores de rua.

A equipe da Casa da Sopa, que atua há mais de 20 anos na Catedral Militar, vai realizar uma ação para a qual são esperadas em torno de 800 pessoas. A programação começará às 11h, com um lanche oferecido a moradores da Estrutural, do Itapoã e de Taguatinga. Após o lanche, haverá uma pequena encenação da via-sacra e, por fim, um almoço, com risoto de bacalhau, pirão e picolé de sobremesa.

A vice-coordenadora do projeto Casa da Sopa, Nair Altoé, ressalta a importância da solidariedade: “No catolicismo, é comum que as pessoas façam jejum na Sexta-feira Santa. A gente também  aproveita esse dia de reflexão para ajudar aqueles que não têm o que comer durante o resto do ano.” Ela explicou ainda que o grupo tem um ponto fixo, no Cruzeiro Novo, onde todos os dias um almoço é servido a pessoas de baixa renda. Os voluntários também visitam moradores de lugares específicos para levar diariamente a refeição, recebida por meio de doações.

Também haverá via-sacra na Catedral Metropolitana. A celebração terá início às 15h — com ritos litúrgicos, adoração da cruz e comunhão — e terminará com uma reflexão sobre os últimos momentos de Jesus, conhecidos como 14 estações. A procissão de via-sacra acontecerá no quadrilátero central do Eixo Monumental e consistirá em uma caminhada em volta de todo o canteiro. O único diferencial no trânsito será a interdição da faixa esquerda da via — no sentido do Congresso Nacional.

Estrutura
 
Em Planaltina, a encenação da via-sacra seguirá por todo o Morro da Capelinha, a partir das 16h. Ao fim do evento, que chega à 44ª edição, será realizada uma homenagem a Nossa Senhora de Fátima. O Grupo Via-Sacra, da Paróquia de São Sebastião, trabalha na organização do espetáculo desde o fim do carnaval. O evento mobilizou em torno de 1,4 mil pessoas, das quais 900 são atores.

A Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social (SSP-DF) organizará grupos de unidades especializadas, como o de Rondas Ostensivas Táticas Motorizadas (Rotam), o de Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) e o de Regimento de Polícia Montada (RPMon). O número de policiais envolvidos não foi divulgado pela secretaria por questões de segurança e estratégia.

O Corpo de Bombeiros também estará presente com 215 militares e 44 viaturas. O Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF) contará com 48 agentes no local, 24 viaturas, um helicóptero, dois guinchos e uma empilhadeira. Já a Secretaria de Saúde encaminhará duas duplas de motos e duas ambulâncias.

A Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) também distribuirá mais de 13 mil litros de água em cinco pontos fixos, na entrada e ao longo da subida para o Morro da Capelinha. O evento em Planaltina também terá um serviço com foco na localização de crianças perdidas. Os participantes poderão contatar a Polícia Militar, o CBMDF e a equipe do Detran por meio do aplicativo WhatsApp para informar sobre o desaparecimento ou comunicar que uma criança foi encontrada.

*Estagiária sob supervisão de Renato Alves

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.