SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Polícia prende homem que usava filho com deficiência para traficar

Segundo informações da Polícia Civil , o homem usava o filho de 23 anos, com problemas motores e mentais, no banco do passageiro para despistar a fiscalização. O jovem foi entregue à mãe dele.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/04/2017 08:11 / atualizado em 17/04/2017 11:27

PCDF/Divulgação
 
Um homem de 55 anos foi preso com quatro quilos de crack, o equivalente a 16 mil doses, após esconder a droga debaixo da cadeira de rodas do filho, no porta malas do carro. O caso ocorreu na BR-060, no Gama, na última sexta-feira (14/4). 
 
 
Segundo informações da Polícia Civil do Distrito Federal, o homem usava o filho de 23 anos, com problemas motores e mentais, no banco do passageiro para despistar a fiscalização. A droga foi encontrada no porta-mala. O criminoso também usava uma tornozeleira eletrônica e trazia os entorpecentes de Goiânia para Brasília.
 
A abordagem de Osmar Martins Pereira, 55 anos, ocorreu na Sexta-feira Santa (14), às 8h da manhã, próximo ao Engenho das Lages, no Distrito Federal. A polícia recebeu uma ligação anônima há 15 dias, denunciando o transporte de droga vinda de Goiânia com destino ao DF.  
 
Policiais do Grupo de Operações com Cães (GOC) da Polícia Rodoviária Federal (PRF), e policiais da Coordenação de Repressão às Drogas da Polícia Civil (CORD) vistoriaram o carro conduzido por Osmar, um Toyota/Corolla com placa de Goiânia (GO). O cão farejador K9 Aruak, com oito anos de experiência em detecção de entorpecentes, identificou a substância ilícita no porta-malas do carro.
 
Osmar mora em Goiânia e disse que entregaria a mercadoria em Sobradinho. Pelo serviço, receberia o valor de R$ 3 mil. Ele teria informado ainda que esta seria a segunda vez que fazia o transporte de entorpecentes. Na primeira viagem, teria recebido R$1 mil para transportar 2kg de crack. 

Ele usava tornozeleira eletrônica que estava em funcionamento do Estado de Goiás. Segundo a Polícia Civil, Osmar é condenado pelo crime de uso de moeda falsa e furto qualificado. Ele cumpria pena em regime domiciliar e pode perder o benefício por conta deste crime. A polícia investiga se, na pena dele, ele estava autorizado a sair de Goiás. 
 
Segundo a assessoria de imprensa da PRF, o filho do condutor é cadeirante e tem "severa deficiência física e mental". O rapaz foi entregue posteriormente à sua mãe, esposa do condutor. 
 
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.