Forças de segurança russas matam suspeitos de preparar atentados

Reconheceu ter contribuído no atentado, mas nega ser o cérebro da operação

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/04/2017 10:05

Moscou, Rússia - As forças de segurança mataram dois homens provenientes da Ásia Central suspeitos de preparar atentados em Vladimir, uma cidade turística russa situada 200 km a leste de Moscou, anunciaram os serviços secretos russos (FSB). "Os agentes do FSB eliminaram dois cidadãos da Ásia Central nascidos em 1987 e 1991" depois que eles resistiram à prisão, anunciaram os serviços secretos em um comunicado enviado às agências de notícias russas.
 
 
Segundo o FSB, os dois homens estavam em contato "com recrutadores de organizações terroristas internacionais" e estavam preparados para atentar na Rússia. O comunicado acrescenta que foram encontrados no local dos fatos explosivos, munições, um fuzil AK-47 e uma pistola. Um vídeo divulgado pelo FBI mostra os corpos ensanguentados de dois homens no quarto de uma casa, um deles com um fuzil nas mãos.

Esta operação ocorreu duas semanas depois de um atentado sangrento no metrô de São Petersburgo (noroeste), no dia 3 de abril, que deixou 14 mortos, assim como o suposto autor, um homem procedente do Quirguistão. O FSB não informou, no entanto, se esta operação estava vinculada a este ataque.

Abror Azimov, um dos supostos organizadores do atentado de São Petersburgo, vivia em Vladimir, segundo a imprensa russa. Azimov foi detido na segunda-feira em um subúrbio de Moscou. Reconheceu ter contribuído no atentado, mas nega ser o cérebro da operação.

Os serviços de segurança russos realizam regularmente operações no instável território do Cáucaso contra grupos islamitas, mas são pouco comuns nas regiões europeias da Rússia. Em outubro, duas pessoas que transportavam explosivos morreram em um tiroteio com os serviços de segurança em um controle de estrada em Nijni Novgorod (400 km a leste de Moscou). A organização Estado Islâmico (EI) reivindicou posteriormente o pertencimento ao seu grupo de um dos dois mortos. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.