Tiroteio na 309 Norte: "Amigo, tem arma aí? Vou mata (sic). Me ajuda"

Para a Polícia Civil, mensagens do celular da jovem presa acusada de participar do assassinato do taxista Luis Lobo revelam que o bando planejou o crime

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/04/2017 12:17 / atualizado em 21/04/2017 14:14

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
 
Mensagens trocadas pela estudante de gastronomia Rafaela Teixeira de Souza, 28 anos, com um amigo, revelam, segundo a Polícia Civil, a intenção dela e dos homens que a acompanhavam de tirar a vida de alguém. No diálogo, não fica claro se o alvo era o taxista Luis Eduardo dos Santos Lobo, 34 anos, morto em troca de tiros próximo a um posto de gasolina na 309 Norte.
 
Nesta sexta-feira (21/4), foi decretada a prisão dos dois homens acusados de participarem do crime. Eduardo Adrien Cunha Neto e Rafael Arcanjo Gomes de Abreu estavam com Rafaela no carro e efetuaram vários disparos.

 

 
Leia a transcrição do diálogo: 

Rafaela: Amigo, tem arma aí?
Amigo: é vc msm? O que ouve? (sic)
Rafaela: Sou eu. Mas é que deu merda. Vou matá (sic). Me ajuda. 
Amigo: Mata (sic) quem?
Rafaela: Amigo tem? Busco aí
Amigo: Para com isso. 
Rafaela: Já consegui uma. Sobrinho ninguém faz osso comigo
Amigo: Rafa, o que tá (sic) acontecendo???
Rafaela (em áudio): Me ameaçaram, ameaçaram meu namorado com uma arma. Eu consegui uma aqui e duas facas. Ceis tão de mimimi. Eu sei que você não quer que eu faça isso. Mas agora, véi, vai rola.
Amigo: Três emotions de carinhas assustadas 
Rafaela: Sobrinho, tentaram me mata (sic)
Amigo: Já tirou essa loucura da cabeça?
 
 
 
"Me ameaçaram, ameaçaram meu namorado com uma arma. Eu consegui uma aqui e duas facas. Ceis tão de mimimi. Eu sei que você não quer que eu faça isso. Mas agora, véi, vai rola" 
 

Entenda o caso 

O crime aconteceu no posto de combustível da 309 Norte, por volta de 6h30 de quinta-feira (20/4), numa cena que lembra filme de faroeste. As imagens do circuito interno de TV do posto mostram quatro pessoas descendo de um carro e disparando contra um grupo que bebia em frente à loja de conveniência. Luís Eduardo se escondeu atrás de um veículo, enquanto outras pessoas correm. Ele foi atingido na altura da clavícula esquerda.
 
Apesar de a polícia afirmar que a vítima teria revidado atirando de volta, a arma que ele estaria usando não foi apreendida até o momento. A polícia suspeita que os amigos de Luis tenham levado. O delegado-chefe da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte), Laércio Rosseto acredita que o crime tenha relação com acerto de contas motivado por tráfico de drogas.
 
Os moradores da vizinhança já tinham feito um abaixo assinado por causa das confusões frequentes naquele ponto da quadra. Rafaela compareceu à 5ª DP (Área Central), voluntariamente pouco depois do crime. Na unidade, ela se apresentou como testemunha, mas acabou detida depois que os agentes ligaram para a 2ª DP e souberam que ela procurada desde o tiroteio.
 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.