Jovem que atropelou ciclista no Lago Norte responderá em liberdade

Em audiência de custódia, a condutora de 20 anos foi liberada após pagar fiança de R$ 5 mil. Enterro da vítima será às 17h

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/04/2017 16:27 / atualizado em 24/04/2017 16:48

Minervino Junior/CB/D.A Press
 
A motorista Mônica Karina Rocha Cajado Lopes, 20 anos, acusada de atropelar e matar o administrador de empresas Edson Antonelli, 61, na manhã de domingo (23/4), deixará a prisão nesta segunda-feira (24/4). Ela pagou fiança de R$ 5 mil e responderá ao processo em liberdade. Enquanto isso, familiares e amigos de Edson prestam as últimas homenagens na Capela 7 do Cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul. O enterro está marcado para as 17h.
 
 
No momento do acidente, a jovem estava sob o efeito de álcool. Segundo o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), o exame do bafômetro registrou 0,85 miligramas de álcool por litro de ar expelido dos pulmões.
 
A colisão aconteceu na altura da QI 7 do Lago Norte, por volta das 10h. O Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) prestaram socorro, mas Edson não resistiu e morreu no local.

Relembre o caso 

A vítima é o administrador de empresas aposentado Edson Antonelli. Ele estava sem documentos e só foi identificado por volta das 13h, quando o filho chegou ao local do acidente. A condutora do Onix ficou abalada e precisou de atendimento dos bombeiros. Após o teste do bafômetro dar positivo, a jovem foi detida e levada para a 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá).

 

Apesar de o acidente ter sido registrado na delegacia do Paranoá, a apuração é feita pelos investigadores da 9ª Delegacia de Polícia (Lago Norte).

 

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
José
José - 25 de Abril às 16:14
Correio Brasiliense, será que todos que leram essa matéria concordaram em gênero e grau com a liberdade dessa assassina? Ninguém fez nenhum comentário referente a essa matéria? Caso vocês estejam omitindo a divulgação desses comentários/indignação, com certeza vocês estão a favor dessa assassina, ou é parente de alguém importante.
 
ADRIANO
ADRIANO - 25 de Abril às 09:31
Ela e a família dela vão ter uma segunda chance. Depois do fato claro que deve estar arrependida. Mas não teve consciência antes. Edson e a família não vão ter segunda chance. Mas Brasil é isso.
 
David
David - 25 de Abril às 05:40
E a família que chore sua perda, porque a lei é para poucos...
 
Ricardo
Ricardo - 24 de Abril às 18:37
Combinação fatal: motorista embriagado e ciclista, vulnerável, trafegando no meio de veículos motorizados. A seta do ciclista é sua mão, seu braço estendido, o que já é um erro grave porque esta sua ação contribuiu para seu desequilíbrio oferecendo risco de sua queda. Sua buzina é, na maioria das vezes, o seu próprio grito desesperado. Errou gravemente o Detran ao legalizar o tráfego de ciclistas junto a outros veículos (carros, caminhões, ônibus, motos etc). Infelizmente teremos mais ciclistas vitimados por motoristas embriagados, não embriagados. Vitimados pela própria "lei" que o coloca, carne e ossos desprotegidos, nas ruas movimentadas de motoristas blindados com ferro, cinto de segurança, setas, buzina. Onde estão as ciclovias? Por favor, não me venham falar de vias marcadas com tinta vermelha que não protegem em nada o ciclista. Eu sou ciclista e não cometo o suicídio de pedalar dentro das ruas, vias, pistas mas somente em calçadas ou em parques.
 
Daniela
Daniela - 24 de Abril às 17:26
Pense na dor dessa família, sendo revivida agora por meio da sensação de impunidade velada que o judiciário provoca com suas decisões. Bem, eu pensei que a interpretação seria a seguinte: quem dirige embriagado assume o risco de causar danos as pessoas. Agora, uma pessoa embriagada atropela e mata outra e responde por homicídio culposo é realmente um tapa na cara dos brasileiros. Triste legislação a nossa, moderna demais para o nosso desenvolvimento. Infelizmente é por meio da educação que se formam cidadãos dignos de serem regidos pelas leis atuais. Senhores, o país é atrasado, não inventem moda trazendo leis fracas.
 
José
José - 24 de Abril às 16:58
Se você tiver dinheiro para pagar a fiança, o crime compensa. Eu não entendo essa justiça, uma pessoa irresponsável, bêbada, mata uma pessoa inocente, traz um enorme sofrimento a toda a família, depois, simplesmente paga uma fiança e é solta? Será que se fosse uma pessoa pobre, sem condições de contratar um bom advogado, será que escaparia da prisão? Que Deus na sua infinita bondade, possa confortar essa família, que esta nesse momento sofrendo muito, enquanto a assassina será solta,